quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

ALGUÈM

O dia terminava...                   
Internet


Alguém bateu à minha porta
Alguém se lembrou de mim
Alguém me chamou

Alguém a quem conheci
Alguém a quem amei
Alguém a quem perdi

Veio até mim
Daquele tempo
Do qual eu não escrevi

E o dia acabava
Tão perto e longe
De mim

Converto-me em ti
No jardim abandonado
Por mim!...


Maria luísa Adães

Visualizações :  19

19 de Novembro de 2014

sábado, 8 de Novembro de 2014

SUPLICANTE

Vem até mim 
Despido de preconceitos

Fala comigo                          
Internet/ Salvador Dalí

Entende-me e suplica

O amor pode ser dado 
De várias formas

E pode ser sentido
De várias maneiras

Te conheci e te amei
E nada sabia de ti

Ignorei a frieza
Depois de eu partir

E venho suplicante
Pedir para que voltes
Neste instante

Apenas neste instante!...


Maria Luísa Adães

Visualizações :  71


8 de Novembro de 2014

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

E DISSE ADEUS...

Afastei-me dos lugares que amei    
internet/ Salvador Dalí

E disse adeus...

Aromas, sons, cores
Mares, caminhos, família
E amigos
Que nunca encontrei

E acabei por amar outras terras
E outros lugares

Troquei minha vida  por ti
E disse adeus ao outro adeus
E meu viver
Se tornou num adeus

Não há dúvidas que morri
Há tantas formas de morrer...

E comecei a gostar da solidão
E comecei a gostar de minha sombra
E comecei a gostar de outras sombras

Mas em cada caminho me acorrentei
E ao teu amor me entreguei

E enquanto te amei
Tudo esqueci!

Sensual e mística
Caminhei voluptuosa
De forma sinuosa
Nas asas do teu vento

Gostei do teu abrigo
Da música ao entardecer
Da  tua boca única
E tu sabes beijar...

E fico com o adeus
Sempre presente
A recordar o outro adeus!


Maria Luísa Adães


Visualizações :  107

20 Outubro de 2014

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Desconhecido

Meu espírito sentiu a mudança               
Internet

Meus ouvidos ouviram à distância
Meus olhos viram

E te seguiram no grito que subia
Até avistar a casa
Na praia longa e sombria

Entraste e esperaste por mim
Eu me despi antes de chegar a ti

Tu olhaste fundo
Num fundo atrás de mim
E à frente de ti

Quem vinha comigo
Eu não conhecia
Mas tu sabias...

Vinha do mar à nossa volta
Vagueando por entre ondas altas
E nos ia levar

Tu sabias
Eu não sabia

Tu sofrias
Eu não entendia...

Eu estava despida
Junto a ti

Desamparada na areia fria
Percebi
A amargura da partida

Chorei esquecida do que tinha vivido
Num tempo quente de amor
E entrei contigo, numa outra vida!


Maria Luísa Adães


Visualizações : 63

15-10-2014

terça-feira, 7 de Outubro de 2014

Espelho III

Chegou o tempo                 
Maria Lais Fett/ Brasil

Tenho de acreditar

Dourados são os mares
Que vejo ao longe

E as flores
O crepúsculo no tom opala
De nuvens a passar

Chamei o espelho
Sentado sem temor
E lhe disse, vem!

E ele veio
E continuou a dizer
  
 "Tu não és nada"

Eu aceitei
O olhei
Refleti nesse dizer

Compreendi...
Ele diz a verdade

Ele se parte e morre
Eu morro
Temos o mesmo destino

Somos iguais!...



Maria Luísa Adães


Visualizações :  99

7 Outubro 2014

terça-feira, 30 de Setembro de 2014

ESPELHOS II

Deixei de olhar espelhos                             
Internet

Deixei de ouvir suas palavras
Magoadas, altivas, especiais

Fugi dos espelhos
Tirei de paredes e outros lugares
Todos os espelhos

E não fiquei indiferente
Como gostaria de ficar!

Me isolei em local
Onde se espelhava o mar

Olhei e me vi refletida
Nesse mar...

Mais um espelho que encontrei
Porquê?

Será que o mundo 
É feito de espelhos
Disfarçados, profanados
Na procura de lugar
Onde ficar

E depois nos vai escorraçar?

E me lembrei
Do espelho que olhei
E com ele conversei
E me disse

  "Tu não és Nada"!

E ele é quem?... 


Maria Luísa Adães

Visualizações:  84

30 Setembro, 2014

quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

ESPELHO

Abri a janela                              
Internet

E ela se coloriu
De vermelho e amarelo

Uma luz perturbada
Ruídos e nuvens acabadas

Nada mudou
Dos sonhos de antigamente

Dormia em floresta cansada
Isolada da luz do sol
Fechada à súplica de quem amava

Olhei o espelho do salão
Contei o que vi na janela

E ele me respondeu
Com sinceridade nunca usada

    "Tu não és nada"


Maria Luísa Adães


Visualizações :  93

24/ Setº. 2014

Como uma Saga (espelho de feitiço)
eu vou continuar a falar
por mim e por ele e talvez... 
me torne Amiga dele!

sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

E SONHO

Frente à passagem do tempo             
Internet

Eu não estou serena
E temo esse tempo

Sei que o canto é tudo
As lágrimas são nada
Eu sou sombra transformada

Sonho, tantas vezes sonho
E antecipo minha visão
Nesses sonhos

A palavra é sempre
Um elemento de jogo ancestral
Clara, louca e perfeita

Com a palavra o poeta
Joga, brinca, chora, ama
Se deslumbra ou se mata

A vida se tornou num jogo
Indecifrável
Os meninos carregam às costas
Todo o mal do mundo

O último amor perdido
Os homens tocam a terra
Como deusa de desengano

Apenas no pano verde
E nas luzes cintilantes
Há um vislumbre de alegria

E o homem sonâmbulo
Diz de quando em quando

Façam o jogo, meus Senhores!...


Maria Luísa Adães


Visualizações : 146

12/Setembro/2014


terça-feira, 2 de Setembro de 2014

ILUSÃO

Te encontrei um dia                                             
Internet

Me encantei por ti
Por tudo o que não dizias

E no tempo a passar
Eu fui a ilusão
Que tu não pressentias

Talvez fosse um contraste
Mal entendido
Um tempo gravado
No próprio tempo

Espero pela alvorada
Espero que o longe fique azul
E troco minha existência

Atravesso o Oceano
Infrinjo todas as regras
Canto todos os cantos
Sem saber cantar

Entro no palco das nuvens
Represento a minha vida
E volto de novo sem voltar

Mas fui a Ilusão
Que nunca esperaste
Encontrar!

Aquela
Que nunca soubeste amar
A que canta sem saber cantar

E nos afastamos sem dizer
E não voltamos sem saber
Quanta ilusão se escreveu

Mas se eu voltei
Foi por nunca ter partido!...


Maria Luísa Adães




Visualizações : 172

2 /Setembro de 2014

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

NINGUÉM

Como um golfinho                                                       
Internet

Que pertence ao mar e à terra
Eu escuto teu canto de amor.

Sei,
Não te vou encontrar
Mas se alguém passa
Pergunto por ti.

Perdi amigos e família
E os encontrei
Na elegia do mar

Os saudei,
Mas eles se afastaram
Em passo apressado

O silêncio invadiu o ar
Olhei o mar
E fiquei em sua companhia

Olhei e tentei
Reconhecer meu rumo
E alguém a quem saudar

Mando-te um som de vida
Solitário, arrependido, exilado
E descubro fui eu que mudei!

Eu não pertenço a ninguém
De ninguém eu fujo,
Mas mudei
Fui eu que mudei!

Aqui fica a minha voz de amor
Quem me escutou
Quem se encantou
Quem me procurou

Ninguém!...


Maria Luísa Adães

Visualizações : 105

Agosto de 2014

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

EU

Uma flor que nasce livre                                             
Internet

E o amor que deixei

A cidade corrida que não dorme
E nunca está cansada

Qual o meu nome
E disso não me lembrei
Apenas olhei
Distante e vaga

Parei a uma porta aberta
Entrei e tudo quanto vi
Não era meu

Saí submersa no meu outro Eu
E aí, deixei de ser Eu!

Será que senti
Será que ouvi
Será que vi
Será que amei?

Me voltei e te abracei
Te beijei e amei
Mas não te reconheci

E serias alguém
Nesse instante breve
Tão cheio de tudo?

Quem era Eu
E a outra que fui Eu
E a que escreveu
E a que te amou

Alguma vez existiu?

Não sei!

Maria luísa Adães

Visualizações : 134

sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

DE LONGE

Venho de longe              
Internet

De países distantes
Acompanho o mundo
E longe de tudo
De olhar atento
Eu vejo um deserto de dor!

O mundo à superfície
Se espreguiçou indiferente
E matou...

A loucura se acendeu
Em mil fogueiras
Se transformou

A natureza é bela
A beleza é cruel

Apenas o pranto
E a bruma
Enluta os ares

Não há lugares
Apenas quimeras
Vidas ceifadas
Almas perdidas
E destroços de miséria.

E meus braços se abrem
Minhas pálpebras
Se cobrem de cinzas

Apenas tenho
Minha voz 
E minhas palavras

E mais nada!...

Maria Luísa Adães

Visualizações :  161

4 de Agosto, 2014 

domingo, 27 de Julho de 2014

ENCONTRO

Encontrei um jardim
E o tempo deixou
De estar olhando para mim

Se voltou
Olhou a beleza da flor

Se encantou e parou
E eu fugi...

Mas está esperando    
Por mim

De momento parou
A flor o encantou

E eu não vou...

Ponham os relógios a contar
Eu vou ficar!


Maria Luísa Adães

Visualizações : 74

30/7/2014

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

Mistério

O mistério é transparente     
Internet
                

Quando vem de ti

As palavras são imóveis
Quando vêm de ti

As vigílias das angústias
Dos espantos exilados
Me falam de ti

Tudo é espaço e tempo      
Desprendido de mim para ti

Olha as rosas do meu jardim
E escuta como elas falam de mim

E o mistério entra desdobrado
Maior do que o silêncio
De coração vencido

Talvez haja coisas sem futuro
Talvez eu não tenha futuro

E os abraços se tenham perdido
Em prelúdio desconhecido

Recorda, nada é urgente
E o adeus caiu no mar

Deixa-o ficar
Não há adeus!...

Mas importa o Presente
Mesmo sem Futuro!

Maria Luísa Adães


Visualizações:  218

30/7/2014


terça-feira, 8 de Julho de 2014

Quimera

Parei                                          
Internet / Salvador Dalí

A uma porta aberta

Entrei na descoberta
Dessa porta

E me parecia
Feita de alegria e magia

Pensei, de imediato pensei

Eu vou viver para sempre
E ninguém vai morrer na minha vida

Nem eu 
Nem os outros...

Eu tinha encontrado
O Palácio da Quimera!

 Razões muito fortes
 Me levaram

 Esqueci essas razões
 E entrei na porta encantada

Quem era eu
Qual o meu nome

Alguém de uma história
Mal contada?

E o amor que deixei
E o avião que me levou
Para o outro lado do Oceano

Onde estava
Todo o teu canto de amor?

E fiquei olhando a quimera de meu sentir
De minha mente absorta
E louca

E dancei a mesma dança
Como se fossa criança!...

Maria Luísa Adães

Visualizações :  222

30/7/2014

sábado, 28 de Junho de 2014

Conflitos

Internet/Salvador Dalí/ Meditação
Os poetas testemunham as suas épocas     



O amor, a alegria, a tristeza, a vida, a morte!

Afirmo :

Não há ideologia de liberdade
Onde há morte!

Não há credos religiosos 
Filosóficos, políticos
Onde há morte!

Não há campos de lazer e de desporto
Onde há morte!

Não há festa no mundo
Se o desconhecer perdura
Aos campos de morte!

Apenas existe uma vida
E um só tempo

Uma chegada 
E uma partida!

E o poeta vê e sente
E não sabe, não pode

Escrever de forma simples
Convencional eloquente

Se deixou de ser gente
Se deixou de amar
Se não tem a quem amar!

Libertem-no das algemas
E da cumplicidade

E  deixem-no cantar


Maria Luísa Adães

Visualizações :  125

30/7/2014


quarta-feira, 11 de Junho de 2014

Acredito

Acredito em ti                                                                                       
Internet

Acredito na vida a passar

O tempo se lembrou de mim
E mandou aguardar

E as linhas geométricas
Não deixam caminhar

Olhares lânguidos e dolentes
Se fixam em mim

Criaturas sem lar
Olham para mim

A lua tem outras cores
As estrelas são outras

Os astros clamam por mim          
Internet/ Salvador Dalí

E eu passo sem parar

Alguém a quem amei
Veio até mim

Alguém
De quem eu não escrevi...

Fico no campo do irreal
Esquecida de que dei meu calor
E perdi meus passos

Meus versos deixaram de cantar
Ficou meu pranto preso ao luar

E eu morri
Por te amar!

Maria Luísa Adães

Visualizações: 1.965

em  30/7/014

quinta-feira, 29 de Maio de 2014

Espelho!

Cada palavra é suspensa         
Internet

Por um espelho

O espelho reflete
As outras palavras por dizer

Os caminhos não têm
Princípio nem Fim

E as secretas feições da vida
Estão escondidas por detrás de mim

Não há idades para amar
Não há barcos sulcando o mar

Há poetas recolhidos
E esquecidos:  

Há místicos desiludidos
Disfarçados de mendigos

E é muito mais fácil
Ser como toda a Gente!...


Maria Luísa Adães


Visualizações :  1.316

 em 30/7/2014

segunda-feira, 19 de Maio de 2014

Também se Ama!...

Também se ama em silêncio             
Salvador Dalí/ Internet

Sem ter nada a dizer
Sem ter nada a escutar

Também se ama
Quando se adormece 
Depois de amar

Também se ama
Quando se lê o jornal
Sem olhar para o lado

Também se ama
Quando não se escuta
As queixas de nosso amante

Também se ama
Quando o desejo passar
E se falar do vulgar

Também se ama
Quando se recupera o alento
E se deixa de sonhar

Também se ama
Num encontro
Sem recordação

E há tantas formas de amar
Tantas razões para o idolatrar
E o eternizar

Mas o amor foge de quem diz amar
E regressa ao que não sabe amar

E eu amo nas interrogações que faço
E nas respostas que nunca recebo!


Maria Luísa Adães

Visualizações : 373

em : 25/7/2014



quinta-feira, 1 de Maio de 2014

Para Ti!...

Salvador Dalí /  Internet
Pedi um ramo de rosas vermelhas
Sensuais ardentes
Salpicadas de orvalho
Feitas de fogo e dor

E tu de olhar solene
Recusaste sem falar
Indiferente ao meu pedir

Recusaste
Por eu escrever 
Sobre as rosas do meu jardim
E esquecer o meu amor por ti...

Eu pedi e não esqueci
As noites quentes
Deste amor maior do que o tempo 

Não esqueci
O calor daquele fado
Que canta sem cantar
E o que escrevo sem escrever

Por isso te digo,

Que cruel foste meu amor!...


Maria Luísa Adães

Visualizações: 183

22/7/2014

quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Absurdo!...

Que coisa absurda e magoada      


Se instalou em mim

E eu deixei?
Não não deixei...

Se instalou e não disse nada
E não disse por favor

Não disse não
Isso eu sei...

Desenhou sentimentos
Misturados de cor e de lamentos

Isso misturou
Eu sei...

Comandou a vida
A minha vida

Me amordaçou
E me transformou

A minha alma voou
E a dor continuou
E não me abandonou

Me manipulou
E me levou a outras vidas

Isso levou
Eu sei...

E aqui ficou
Esperando
Por alguém

E esse alguém
Ainda não chegou

E quando chega?


Não sei!...

Maria Luísa Adães


Visualizações : 114

28/7/2014

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

Ouvir

Internet
Ouvi falar da tua transformação
Ouvi dizer do teu afeto por mim

Ouvi o teu pensamento
O apanhei nas asas do vento

Ouvi o clamor de várias vozes
Ouvi os ecos do silêncio

Ouvi o rouxinol Persa e das Índias
Perdido no burburinho do mundo

Ouvi a mudança de voz no vento
A lembrar o Oriente

Lembro a eternidade
À qual não posso fugir

Mas acredita
Gosto de viver!

Não me tires esta ânsia
Esta alegria que eu sinto
Quando te vejo ou pressinto

E te peço,

Ama-me
Como da primeira vez!...

Maria Luísa Adães

Visualizações : 173

28/7/2014

quinta-feira, 13 de Março de 2014

Te Procuro

Em todos os lugares               
Internet

Da minha vida solitária
Eu te procuro

Em todos os momentos
A pensar e a amar
Eu te procuro

Nos ventos que rodopiam
Vadios à minha volta
Eu te procuro

Nas flores que vão nascendo
Nesta primavera do tempo
Eu te procuro

Nas músicas que escrevo
Nas músicas que não ouço
Eu te procuro

Nos amigos que não tenho
Nos outros que partiram
Eu te procuro

No rumor das fontes
No amor que jogamos
Eu te procuro

Nos sorrisos de loucura
No amor que te tenho
Eu te procuro

Me diz onde estás
Me diz onde te encontras
E eu te procuro

Mas me diz
E não fujas de mim
Nos lugares distantes

Acompanhada do silêncio
Rodeada de flores a nascer

Me diz onde fica esse ponto
Esse lugar de encontro
E eu te procuro

E no dia em que digas
Eu estou aqui junto a ti
Tão perto de ti...

Fica em meu coração
Ó Deus de meu pranto!...

Maria Luísa

Visualizações :  258

28/7/2014


sexta-feira, 7 de Março de 2014

MULHER

Internet
Porque sofres
Porque te vendes
Porque és maltratada
E infeliz também?

Interrogo o mundo
Me interrogo a mim
E não entendo
Que se passa contigo

Não te entendo mulher!

Tu dás a vida
Perdes a tua vida
Percorres caminhos
Como se fosses nada!

Mulher volta teus olhos
Escolhe o caminho
A que tens direito

Ressuscita mulher
E à tua dignidade
Tão mal tratada

Não te deixes perder
Não rastejes pelo nada
Nem por ninguém!

Ergue-te e caminha
Tu foste abençoada
Não fujas mulher

Tu até foste escolhida
Para um destino Maior!

E não entendes
Teu lugar no mundo
Não entendes?

Ressuscita mulher
Porque foges mulher

Mãe idolatrada!


Maria Luísa Adães


Visualizações :  93

28/7/2014

quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2014

VEM!

Internet
No coração da minha vida
Tu estás presente!

Vivi os dias de sol
Sonhei sonhos que não senti
E não choveu lá fora

Viajei pelo espaço
Encontrei outros mundos
E cantei outras canções

Olhei aves e sombras
E andorinhas esbeltas e puras
Voaram junto a mim

Mesmo a meu lado                                                       
McR/miscariciasdelalma

Como símbolos de solidão
E de separação

E foi com elas que voei
E dei a volta ao mundo
E me perdi do meu mundo

Como um ninho
Construí o meu castelo
E me afundei na procura de ti

E andorinha passou
Na procura de mim                           
E se afundou e me pegou
Como um filho perdido por ela.

E eu a amei 
E reconheci
Que encontrei
E aceitei
Aquele amor
Que sempre
Esperei
De ti!

Vem!...


Maria Luísa

Visualizações :  111

28/7/2014

terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

ADEUS

Tenho de partir!            
Internet


Não sei como o vou fazer
Sem morrer um pouco
Tão longe de ti

Sem ninguém à minha volta
Perdida de tudo quanto amei
Parto sem saber porquê

Tende pena de mim!

Venham ao meu lugar
Agarrem meus braços                                                  
Internet

Não me deixem voar

Metade de mim - é partida
Metade de mim - é saudade

Não sei quando volto
Não sei se vou voltar

Sei que te vou deixar
E vou ficar
Longe, muito longe de ti

Tu me vais esquecer
Não digas, não esqueço,
Não mintas por mim

Tu sabes
Que dizer adeus
Tem sido o meu destino


Maria luisa

Visualizações :  75

18/2/2014

segunda-feira, 27 de Janeiro de 2014

Poesia

Não chames por mim poesia       
Brasil


Não me procures
Eu sou assim  

Não sei que te dizer
Nem sei falar de ti

Eu vivo num outro mundo
Longe do teu mundo
De fantasias ilusórias
E tristes também

Não peças que volte
Nada pedi
Não estou junto a ti

Te quero deixar
E não voltar!

Minhas horas e meu tempo
São para mim
Não são para ti

Não sou poeta
Sabes que não sou
Não te prendas a mim

Deixa-me partir
Não clames por mim
Não me procures
Eu sou assim!

Eu não estou presente
Eu quero estar ausente
De ti
E do que sinto por ti!

Desculpa,
Escrevi a pensar em mim
Me deslumbrei com o que senti
E me refugiei em ti

Só isso eu fiz
E mais nada!

Maria Luísa

Visualizações :  128

27/1/2014




segunda-feira, 13 de Janeiro de 2014

Folha em Branco

Van Gogh
Uma folha de papel em branco
E mais nada!

Entro no meu mundo
Escrevo minhas fantasias
E caminho no meu tempo

Uma folha de papel em branco
E mais nada!

Lá fora existe um mundo
Que não é meu
Que não é branco

Eu vejo e não penso
Escrevo e mais nada
Numa folha de papel em branco!

As relações à distância não resultam
E eu sonhei sonhos na distância
E me perdi nesses sonhos

Fugi
Entrei numa folha de papel em branco
E vivi!

A magia está nas Palavras
E na folha de papel em branco

Hoje eu sei
Não há retorno para mim!

Maria Luísa

Visualizações: 109

13/1/2014

terça-feira, 7 de Janeiro de 2014

Infinito

Internet
Viajei pelo espaço
Encontrei outros mundos
Cantei outras canções

Amei o que vi
E ainda mais o que senti
E o muito que perdi

E reparei nesse olhar 
Voando até mim
E esperei por ti

E ficaste na minha vida
No coração dessa vida
E nunca te esqueci

Da distância percorrida
Nunca me apercebi
Mas sempre sonhei e aceitei

Preparei colunas poderosas
Molhadas de lágrimas
De arrependimentos tardios

Mas confesso que vivi
De uma maneira só minha
Diferente de tudo quanto vi

E amei o Infinito
Belo e austero
Mas não me perdi

E voltei no desejo de amar
E tornei a errar e não fiz nada

Não aprendi a corrigir os erros em mim!


Maria Luísa



segunda-feira, 6 de Janeiro de 2014

Eusébio

A Eternidade é tua! Descança em Paz!
Adeus Eusébio 

A Eternidade é tua!



Saudade gosto amargo de infelizes...

Lusíadas/ Luís Vaz de Camões



São Paulo/Brasil - 15:18/ 6 de Janeiro de 2014

Portugal - 17:18 do dia 6 de Janeiro de 2014


Maria Luísa

Visualizações : 57

6/1/ 2014