quinta-feira, 2 de setembro de 2010

A Nossa Vida

A nossa vida é isso que tu dizes 
Como num filme passa por nós,
Pequenas cenas passadas
Grandes cenas vividas. 

Tudo deixa de ser real
E até o presente do instante
Esquecemos, 
Mas o flash é momentâneo, 
Muito breve, por vezes. 

Fica presa na memória
E a memória traz nostalgia
Simboliza nossa pessoa,
Nossa vivência.

Com ela vivemos
De pequenas emoções
Alguns sofrimentos
E outros esquecimentos
Que não queremos lembrar.

A memória é eterna,
Transcende o espaço
Em que vivemos
E nos ensina a esquecer,
Alguns tormentos.

Sem ela deixamos de ser Gente!

Deixa-me pensar
Que tudo quanto digo
É verdade,

Deixa-me ser como sou,
Não me queiras mudar
E deixa, continuar a viver
Como gosto.

Amar-te como me apetece
E tu me conheces
E deixar-te a olhar
Aniquilado, assombrado,
Para a minha sombra
Quando me afasto.

E por ser assim...
Não fujas de mim!

Eu quero sempre mais
Do que um milagre!

Maria Luísa

55 comentários:

OutrosEncantos disse...

Sempre queremos mais do que um milagre, Maria Luísa!

Mas o importante é que sejamos sempre iguais a nós próprios, quer nos deixem ou não!

Muito belo o teu poema!

Beijo!

Maria Luisa Adães disse...

OutrosEncantos

Grata e feliz com tuas palavras e tua presença.

Obrigada,

Mª. Luísa

Gladys disse...

Hola María muy bueno tu poema muy reflexibo los seres humanos somos
inconformista y siempre queremos más de lo que la vida los puede dar,esperamos milagros en el amor.
Un abrazo grande que estes muy bien.

Maria Luisa Adães disse...

Gladys

Feliz por te encontrar.

"E eu quero sempre mais
Do que um milagre!...

E pensar
que tudo quanto digo
É verdade"...

Beijos e obrigada,

Maria Luísa

Mona Lisa disse...

Olá

Adorei!
Senti-me nele!

A eterna insatisfação de quem sonha...

Bjs.

Maria Luisa Adães disse...

Olá Mona Lisa

Que bom encontrá-la aqui tão perto de mim.

Na realidade o poema, como diz:

"É a eterna insatisfação de quem sonha..."

Com carinho,

Mª. Luísa

MC disse...

"A nossa Vida"

É um poema real e

"Tudo quanto diz
É verdade"...

Gostei do poema e do seu final,

"Eu quero sempre mais
Do que um milagre!"

Belo,

M.C.

beites disse...

Deixa-me pensar
Que tudo quanto digo
É verdade

eu acredito
arrebatadora

dominadora..bem bem..hé hé hé-_-

brinco

jocas fofas e feliz tarde

beites disse...

uma grande e feliz tarde
mas sardinhas
nem vê-las
havia
mas já estavam encomendadas...

e eu que gosto tanto

beijinhos Luisa-_-
mas sábado vou desforrar-me..hé hé hé

Vozes de Minha Alma disse...

Maria, achei esplêndido teu poema.
Sabe que já tentei escrever algo semelhante?
A vida realmente é como flash de uma película que vai sendo rodada pela passagem do tempo.
Mas quero te oferecer um poema que apesar de possuir um conteúdo místico, é algo que a mim, evoca essa transcendência:

Carma Evolutivo

Num desfecho intrigante vem a morte no final...
É uma longa espera, de uma vida terminar,
Que seus braços na espera, dessa lida tão fatal
Sua sombra peregrina, para que se preocupar?

Na fronteira insondável das moradas infinitas
Comovente, misteriosa, para nos encaminhar
E que hoje simboliza, o descanso dessas lidas
Mas num último suspiro, para que interrogar?

Quando, estivermos a caminho do insondável
Ilusões se findam, das loucuras execráveis,
Desse corpo, dessa roupa, que iremos descartar,

Surgirão as muitas luzes de esplendor celestial
Pra vencer a morte, para vidas memoráveis,
De astrais desagregados, noutra vida encarnar!


Um beijo, e um fraternal abraço.

Maria Luisa Adães disse...

Vozes de minha Alma

Interessante a coincidência, de já teres pensado em escrever um poema semelhante.
Não escreveste, mas aqui tens o meu!

Nos meus poemas de amor, há muito nas entrelinhas de misticismo. Eu nunca digo, a quem os dirijo.

Até pode ser ao mundo,
ao místico,
numa mistura sensual e pura.

E o misticismo, tem para mim valor
invulgar. Entra em tudo que escrevo
e só eu me apercebo!

Amei teu poema e te vou conhecer e não te perder.

O tempo passa rápido.

Ontem fomos crianças,
Hoje mulheres,
Depois mães,
De repente avós.

E o tempo não pára a contagem.

Tudo quanto escrevemos,
Tudo quanto somos,
Tudo quanto amamos,
Na hora certa
Temos de deixar.

Acreditas num Karma evolutivo?

"E no surgir de luzes
de esplendor Celestial
E numa outra vida encarnar?
Acreditas?"

Eu acredito no meu poema
E acredito no teu poema,
que me dás a honra
de escrever,
neste local de silêncio...

Amei encontrar-te!...

beijos e obrigada,

Maria Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Beites

Arrebatadora, eu sou?
Dominadora também?

Quem sabe o que sou, se nem eu sei!

Adorei este encontro.

Beijos,

Mª. Luísa

beites disse...

a melhor das tardes

num sorriso do mundo...

beijinhos~_~

cuidandodemim disse...

Temos de nos deixar amar por aquilo que somos e não por outra coisa... E é isso o que de melhor temos nas nossas lembranças e recordações... Aquelas pessoas que nos amaram por aquilo que fomos e somos, sem nos tentar mudar...
Bjns

Marilu disse...

Querida amiga, lindo e profundo seu poema...Beijocas

Marilu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vozes de Minha Alma disse...

Maria Luísa,
É um prazer compartilhar contigo algo que me diz respeito.
Amei tudo o que disseste, alma bendita!
Estou feliz, que essa sintonia fina, tenha sido percebida por ti minha querida!
Olha Maria, vou te ofertar outro poema que escrevi, após visitar aqui em São Paulo, uma exposição fotagráfica do século XIX
No terminal ferrviário, junto à multidão, tu acredita que me vi só e regredindo ao passado?
Veja só:

A Máquina do Tempo

I

Vejo crianças, homens, mulheres e damas.
Admiro no íntimo do ser, concentrado...
Trotes na rua, bondes, o barbeiro, as amas
Uma pharmacia, os amantes, o namorado...

Na Rua Direita, na Praça da Sé, há soldados
Esculturas, igrejas, casarões, carruagem.
Vejo-me ali, naqueles tempos passados...
Numa regressão momentânea, em viagem.

A máquina do tempo me conduz, e retorna,
Naquelles dias, preto e branco da fotografia!
Vejo um antepassado, elegante, empostado...

A máquina do tempo me leva mais para trás!
Onde circulei no absconso mistério da vida.
Vejo Adão, vejo o barro, e eu, ao pó retornado...

II

Estou aqui, novamente como que perdido...
À espera de um trem, nessa estação, divago.
Olho à minha volta, estou também aturdido
Ontem nasci, o tempo passou, de repente vago...

Que passado é esse, misterioso, e intangível,
Abstrato, célere, irreal, e assim temporário?
Só sei que agora estou refém, agora passível
Estou impotente, interajo, porém solitário...

Tento querer, quero esse tempo paralisar!
Quero esse momento tão arredio segurar...
Não quero perder nem um último segundo!

-Lá vem o trem... Agora, preciso embarcar!
Nesse ato permissivo do tempo, ouso continuar...
Dou um passo, estou em mim, volto ao mundo!
E É ISSO AMIGA.
VOU TE SEGUIR, E MEU NOME É ANTÔNIO LÍDIO, CASO QUEIRA ME CONTACTAR
BEIJOS.

Ana Tapadas disse...

Eterna fugacidade! Como está bem expressa!Lindo.
Beijo




(No início do Blog: seguir este blogue; partilhar; denunciar...).

Valvesta disse...

Amar-te como me apetece
E tu me conheces
E deixar-te a olhar
Aniquilado, assombrado,
Para a minha sombra
Quando me afasto.


Quem dera eu tenha coragem
mas era preciso
e a sombra assombra mais quer ficar. beijos amiga.

Graça Pereira disse...

Talvez seja a tua vida...a minha e a de todos nós... Vestimos-te as palavras e acreditamos que a memória traz nostalgia...mas precisamos de emoções...para continuar.
Um pequeno flash...transporta-nos para outro mundo...Esquecer...porquê?
Foi o ontem que nos trouxe o Hoje...
A vida...é um milagra que se repete todos os dias...mesmo sem memória...mesmo sem amor...
Beijo
Graça

Amor feito Poesia disse...

""(...) Deveria chamar-te claridade
Pelo modo espontâneo
Franco e aberto
Com que encheste de cor o mundo escuro..."

...(Vinicius de Moraes)"


Beijos perfumados prá voce!! M@ria

Decio Bettencourt Mateus disse...

Maria Luisa: vim apreciar a delicadeza com que tece palavras poéticas. Voltarei mais vezes concerteza. E agradecer a visita à Mulembeira.

Kandandu (abraço)

disancor disse...

Feliz fin de semana.
Un saludo.

Maria Luisa Adães disse...

Vozes da minha Alma

Obrigada por confiares e me mandares teu nome e teus belos poemas.

Do fundo Divino de mim mesma,
agradeço.

Maria Luísa

Vozes de Minha Alma disse...

Maria, com certeza, quero e agradeço o envio do livro.
Fiz um poema chamado "Columbário Medonho", onde alí evoco os medos, e os temores dum além túmulo.
Foi publicado na Antologia Vozes da Alma, e quero que o receba.
Caso queira me contactar, para deixar teu endereço, meu e-mail é agzohar@gmail.com
Obrigado mais uma vez, beijos, um abraço.

Vozes de Minha Alma disse...

MARIA, EIS O POEMA "COLUMBÁRIO MEDONHO"

Columbário Medonho


MEMENTO, HOMO, QUIA PULVIS ES, ET IN PULVEREM REVERTERIS
(Lembra-te, homem, de que és pó e ao pó tornarás)

***

No Cemitério do Araçá, na cidade de São Paulo, existe um estranho edifício conhecido como columbário, onde guardam-se os ossos.

***

COLUMBÁRIO MEDONHO

Ó columbário misterioso, imponente, medonho, e antigo!
Acima de ti, jaz epitáfio esquecido desse chão memorial.
Depositário fiel dos materiais orgânicos, e tumbal abrigo,
Ó columbário faraônico, tão sombrio, tão tétrico e mortal.


Longe de mim, porém desse templo dos que já findaram.
Afasta agora de mim Meu Deus e Pai! Da-me um atalho!
Lúgubre recinto, hoje os espíritos, que a terra habitaram...
Meus ossos, já estou ouvindo baterem, feito um chocalho!


Construção decrépita, silencio reinante, místico sepulcral...
Traslada-me ó Deus, ainda vivo, desses sonhos temerários!
Sinto meus medos, meus terrores, meus temores e o mal,
Com os anjos desejaria brincar no teu céu feito os hilários...


Ó portal estranho da mística e eterna morada da escuridão
Atordoante conclusão final encerrando sonhos dos aflitos!
Ó portal medonho, funesto, cadeia que fechado esconde,
As lembranças da vida, do calor, das festas e dos conflitos...



Abraços.

Vieira Calado disse...

"A minha vida é o que eu penso que a vida é"

dum poema meu.

Beijhnos

Sonhadora disse...

Minha querida
Um poema maravilhoso, cheio de força e ao mesmo tempo terno.

Eu quero sempre mais
Do que um milagre!

Sempre pedimos à vida, o que ela por vezes não nos pode dar.

Beijinhos
Sonhadora

Maria Luisa Adães disse...

Vieiracalado

E a vida é isso mesmo que diz:

"a vida é o que pensamos que ela seja"...

Mas todos nós, temos pensamentos diferentes acerca dela.

Assim, Ela é feita e moldada, ao pensamento de cada um...

Gostei de o encontrar.

Maria Luísa

Anónimo disse...

"A Nossa Vida"

É isso mesmo que tu dizes e eu não vou repetir.

Gostei de tua forma de escrever!

caminhante

Ana Tapadas disse...

Bom Sábado!
Pronto...coloquei por alguns dias o painel de seguidores, que tinha retirado.
A minha vida profissional não me permite frequentar redes socais, por falta de tempo.
Beijinho

Anónimo disse...

Luadoceu

Olá Luisa

è bom termos uma vida, especialmente a nossa vida

é bom termos memórias,para recordar o bom da nossa vida, o mau também e aprendermos a mudar o que achamos que nos prejudica

é bom ter alguém a nosso lado que nos ame tal como nos somos

bjinhos e bom fds

sempre q possa dentro de um portugues que penso que está correcto,mas sempre errando,passo aqui

bjinhossssssssssss

Janita disse...

Olá querida Maria Luisa.
Cá estou de novo a deliciar-me com a tua poesia, reflexos do teu e do meu sentir.
A vida é feita de momentos fugazes, no entanto quando nos tocam a alma, ficam presos na memória para todo o sempre.
A memória da alma é a que me faz viver intensamente e dá sentido à minha vida. Se isso assombrar alguém, eu não me afastarei nem mudarei o meu sentir.

Beijinhos minha querida, é muito bom estar contigo de novo.

Janita

Carla disse...

Hola amiga, por lo que logro traducir, hablas de un amor lleno de milagros, de amor que no se olvida , que queda en el recuerdo...muy bonito y nostálgico.
Un abrazo y buen fin de semana!!!

RECANTO DA POESIA disse...

Num coração sonhador planta-se a ilusão
Que lhe dá vida e esperança; mera estação
Que vai-se embora deixando apenas solidão
Mas que deixa saudades de um belo verão.

Um abençoado Domingo e beijos meus!! M@ria

Maria Luisa Adães disse...

recanto de Poesia

Grata por te encontrar e às tuas
belas palavras.

obrigada,

Mª. Luísa

Anónimo disse...

"Amar-te como me apetece,
E tu me conheces
E deixar-te a olhar
Aniquilado, assombrado,
Para a minha sombra
Quando me afasto."

Minha amiga o poema é lindo, mas esta parte a aceito como metáfora,
pois é cruel!

Druída

Hanukká disse...

Uma semana de paz, vim desejar. Obrigada por sua visita, lá estarei a espera-la com o que tenho de melhor pra dar-te, bjos no coração.

Gerana Damulakis disse...

Um poema cheio de verdades. Agradeço sua visita ao Leitora.
Adorei seu blog.

RECANTO DA POESIA disse...

eu vi rosas
e jasmins namorando
trocando cheiros
em meu jardim
margaridas e lírios molhados
que apaixonados riam pra mim
agradeci o amor dessas flores,
o perfume, as cores...
e a beleza que Deus fez assim..

Tadeu

Uma semana de Paz e Poeis!Beijos!! M@ria

Miguxa disse...

Maria Luísa,

Gravado na mente ficará
Tudo o que passou
No coração marcou e
Para a frente marca e marcará...

Adorei!!!
Beijo terno
Margarida

"Cantinho Poético" disse...

Bom dia e Feliz Semana!!
Tem selinho aqui prá voce...pegue o seu!!

Beijossssss.......M@ria

Maria Luisa Adães disse...

Miguxa

Adorei encontrar-te!

Muito bom usufruir de tua companhia

e receber tuas palavras de
sabedoria, calma e leve.

Com ternura,

Maria Luísa

Vozes de Minha Alma disse...

Minha amiga, quero deixar um abraço, e desejar um bom dia.
Até a próxima, beijos.

disancor disse...

Muy hermoso poema. Felicidades.
Un saludo.

tossan disse...

Sempre queremos mais, também quero mais do que um milagre!
Lindíssimo Maria Luísa. Beijo fraterno

Maria Luisa Adães disse...

Tossan

Grata por te encontrar!

Também tu,

"Queres mais do que um milagre"...


Beijos e obrigada,

Mª. Luísa

Maria Clara disse...

Gosto de saber pessoas que querem mais do que um milagre.
Gosto de querer TUDO. Gosto de saber de gente que quer o absoluto como eu.
Muito bonito o seu poema e o seu Querer imenso.
Obrigada por me saber menos só no Sonho.
Obrigada pela sua visita ao meu blog e por se ter feito seguidora.
Espero-a, sempre que queira ou precise.
Um abraço do tamanho do olhar de Deus!

Flor da Vida disse...

Amar-te como me apetece
E tu me conheces
E deixar-te a olhar
Aniquilado, assombrado,
Para a minha sombra
Quando me afasto.

Querida essa parte do teu poema
me tocou profundamente... Pois o
amor quando real e transcende,
nada o apaga, pode sim entrar em
letargia, adormecer, para não sofrer
e despertar em um novo reencontro...
Em outra vida talvez...
Quanto ao sentir de outras vidas
creio piamente nisso... Fatos e
fatos tem me acontecido que me
trazem essa certeza... Amei o teu
cantinho aconchegante e iluminado!
Seguindo-a com imenso prazer!
Deixo a ti um abraço e meu
carinho... Bjsss

Vozes de Minha Alma disse...

Amiga, lindo, lindo o poema que lá no Vozes deixaste!
Obrigado e retribuo com este:

Dá-me da tua Essência

Essência das Essências perfumadas
Entre espinhos, lutuoso do martírio
Estás linda, entre as flores adornadas
-Dá-me a graça, teu amor e teu delírio...

Entre as rosas mais serenas virginais
Alma soluçante delicada, vaporosa
Entre as flores perfumosas madrigais
Flor das flores, viva, meiga amorosa...

Tu, que às minhas lágrimas conhece
Finges que não sente meu amor
Dos aromas, com perfume é almejada

No orvalho, tão sublime, puro e casto
Pelos sonhos, imortais agraciados
De minh’alma, soluçante lacerada...

Abraços, bjs.

Sonhadora disse...

Minha querida
Estou a receber os amigos, comemoro um ano de blogue.

Deixo beijinhos com carinho
Sonhadora

Vitor disse...

A vida de uma poeta
Tem a velocidade de uma flecha
Qual flecha de cupido
De uma amor eternecido
Feito de poemas enobrecidos
Eternamente agradecidos
Por mim,por nós,por todos

Bj*

Vieira Calado disse...

Vim ver se havia novidades...

Beijoca.

RECANTO DA POESIA disse...

"Os remos batem nas águas:
têm de ferir, para andar.
As águas vão consentindo-
esse é o destino do mar"

Cecília Meireles


Bom dia.....Beijos & Flores!M@ria

Maria Luisa Adães disse...

Vozes de Minha Alma

Agradeço
e outra palavra não lembro,
apenas esta, humilde, eu lembro!

Agradeço teu belo poema, em resposta ao poema simples que deixei no "Vozes".

Grata eu fico, meu amigo, por tuas palavras repletas de símbolismo, ao
Amor.

Com ternura,

Maria Luísa