quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Palavras

Para reconhecer,
Amar,
Meditar,
Sentir,
Lembrar.

Tornar minhas mãos mais leves
Meus sentidos mais sensíveis,
Ainda mais...

E não deixar comandar,
Meus versos.

Apenas meu senso e minha mente  
Podem predominar
E ensinar Palavras,
De pessoas conversando
Sem estar falando,
De pessoas escrevendo
Que não vão ser lidas,
Nem cantadas,
Ou partilhadas.

Ou já é tarde
Para mim? 

Que fui gente
Ao pé de Gente
Que me ensinou
A ser gente!

Não me façam ser
O que não sou
Não me convidem a ser igual,
Porque sinceramente
Sou diferente!...

Onde me perco
Me quero perder!

E sou sombra
Silêncio e Nada!

E dou vida,
Palavras sentidas
Até morrer!

Maria Luísa

53 comentários:

Brown Eyes disse...

Nunca é tarde Maria Luisa e para qùê ser igual? É tão boa a diferença. Beijinhos

Graça Pereira disse...

Olá Maria Luisa
Quem põe as palavras neste ritmo, cadenciadas, sentidas...nunca será igual aos outros e...muito menos esquecida!
Beijo com carinho
Graça

PRECIOSA disse...

Olá Maria Luisa
Palavras nunca são esquecidas.
Em momentos eé da palavra que dependemos
As vezes eslas machucam, outras vezes siguinifica esperança
Bom demais ter palavras e gestos amigo,...
Beijos no coração poetisa....
Preciosa Maria

Maria Luisa Adães disse...

Brown Eyes.

Graça Pereira,

Preciosa.

Brown Eyes diz :_ "é tão boa a diferença"...

Graçe Pereira diz:

"nunca será esquecida e igual aos outros"

Preciosa diz:

Palavras, "algumas causam mal, outras dão esperança".

Os comments que me deixaram me comoveram, cada um a seu modo e me
dignificaram.

Foram escritas por mim e para mim,
nada têm de ficção e vós todas, o
entenderam tão bem, que chorei e
continuo a chorar...
É um poema em que a única personagem - sou eu!

Beijos e agradecimentos,

Maria Luísa

Fernanda Barcellos disse...

oiii minha amiga amada...

Como está??Passei aqui pra te desejar um dia iluminado, de muita paz, muiita inspiração para seguir escrevendo esses poemas lindos, que escreves tão bem e com a alma.
Aqui é pura sensibilidade. Quero a partir da semana que vem, poder prestigiar, mais, os blogs amigos, até domingo preciso me concentrar pra uma prova importante.

Massssss,

p.s.: Não fuja de mim!!

Beijos doces

Maria Luisa Adães disse...

Fernanda

Não fujo de ti!...

E te espero sempre encontrar,
ao fundo da estrada
bem ao fundo
e te olhar, reconhecer,
e não ficar
desamparada!

Com carinho.

Mª. Luísa

Marilu disse...

Querida amiga, palavras são eternas, ditas não mais recolhemos. As vezes nos alegram ou nos entristecem...mas existe sempre uma palavra amiga. Beijocas

Maria Luisa Adães disse...

Doce Marilu

Muito bom te encontrar, assim tão rápido.

As minhas palavras, hoje, não têm
ficção - são o meu estado de alma!

Beijos e obrigada,

M.L.

José disse...

Olá Maria Luísa

Ainda falando dos muros, os muros separam, eu gosto mais de pontes,
as pontes unem as margens,
e sei bem o que é ir buscar o sustento noutras paragens.

Estas palavras
sem ficção
cadenciadas
bem ritmadas
ao som do coração

beijinho,
José.

OutrosEncantos disse...

Há por vezes silêncios não traduzíveis em Palavras!
Há por vezes sombras que são os nossos Anjos da Guarda!
Nada, simplesmente não existe!
Tu existes e és muito!
Sabes usar as palavras para te libertar dos tormentos, soltar os sentidos e os sentimentos, como se fossem Gente!
Tarde é o minuto depois do fim!
Às vezes também me pergunto isso...
Tu serás sempre igual a ti própria!
Tens força imensurável!
Tu serás sempre diferente, essa é a tua essência, a diferença!
Ser diferente "custa caro", às vezes faz doer muito, mas é muito bom a gente Sentir-Se!

Como sempre, o teu poema está precioso. Conta uma história!...

Desculpa a minha ausência.
Dei permissão ao silêncio que me enrolasse na sua manta para eu adormecer um pouquinho! Não consegui, voltei ao activo até uma próxima recaída... rsss.

Beijos, Maria Luísa.

Maria Luisa Adães disse...

José

Eu também prefiro as pontes, mesmo quando ela balançam.

Um dia uma camioneta cheia de gente alegre e festiva, ao atravessar uma ponte, no terminar do passeio, caíu a um rio bravio...
A ponte se partiu, eles morreram todos.

Se fosse um muro, também podia ruir, mas era uma ponte antiga e
parecia robusta, mas se partiu e o rio embravecido os levou todos!

José, não há estabilidade
não há por onde fugir.

E tu sabes, o que é ir buscar o sustento noutras paragens.

Hoje vejo tudo com uma clareza igual ao poema que escrevi.

Quanta saudade!

Beijos e obrigada, por te contar este drama verdadeiro. Hoje, nada é ficção!

Maria Luísa

São disse...

Bonito poema. Tarde? Nunca o é.
Tudo de bom.

Maria Luisa Adães disse...

Outros Encantos

Obrigada por teu esplendoroso comments. Fui a tua casa responder.

M. luísa


São,

Dia Feliz!

M. Luísa

rosa-branca disse...

Lindas palavras em poema lindíssimo minha amiga. Sempre lembrada...nunca esquecida. Beijos com carinho

Miguxa disse...

Maria Luísa

Palavras são na maioria das vezes apenas isso mesmo mas, as tuas "PALAVRAS", são diferentes, são a voz do poeta, sensível, comovente...

beijos com ternura
Margarida

Gladys disse...

Hola María palabras muy hermosas
con mucho sentimiento bello poema y la imagen es muy bonita.
Cariños amiga que estes muy bien.

OutrosEncantos disse...

Céu
Emocionaste-me, Maria Luísa!
Eu já tinha lido o teu poema, apanhei-o no momento da publicação, e quando voltei, entrei a medo, sem saber se continuava com as palavras perdidas de mim.
E de repente, como tu sabes que acontece, começaram a chegar e logo a fugir e a saltar no teclado. Saiu tudo sem pensar, directo cá de dentro. Nem sei o que te disse, tenho que reler!
Puseste-me a chorar, não sei se sabes, precisava mesmo de ouvir algo como o que me disseste. Obrigada!
E termino com uma pergunta:
- alguma vez te disse que desde menininha jogava o "crapô" com parceiro/a imaginário?! E nunca fiz batota... rsss!!!

Beijos querida
Obrigada

(não percebi essa tua cena de "entrar sem pedir licença...")

Amor feito Poesia disse...

Ah! Deixa-te vogar, calmo, ao sabor
Da vida... não há bem que nos não venha
Dum mal que o nosso orgulho em vão desdenha!
Não há bem que não possa ser melhor!

Florbela Espanca

Feliz tarde!Beijos perfumados! M@ria

Humana disse...

Eu GOSTO das suas palavras!

Beijinho, Maria Luisa.

RECANTO DA POESIA disse...

Deveríamos ser como borboletas,
e ter a coragem de enfrentar
a metamorfose da vida,
para sermos livres.

Patty Vicensotti

Sonhos de Primavera...Beijos meus!!

Ingrid disse...

nossas palavras sempre serão únicas e inesquecíveis,pois vem do fundo de nós e de nossos sentimmentos.
Sempre bom por aqui ler e sentir.
Beijos.

"Cantinho Poético" disse...

SELINHO PRÁ VOCE!! PEGUE AQUI!!
http://ocantinhopoetico.blogspot.com/

Beijos Meussssssssss**************M@ria

pekenasutopias disse...

Poema verdadeiro, não ficcional, segundo me disseste e eu acredito... e sinto. Enquadrar-se-ia perfeitamente em mim, Maria Luísa. Tão perfeitamente que me assentaria que nem uma luva. Não hoje. Eu hoje estou "não-presta" e demasiado fraca para dar opiniões que façam algum sentido...
Que a tua vértebra te possa dar mais descanso, mas não te esforces demasiado. Vértebras magoadas e teclados de computador são sempre muito incompatíveis.
Um enorme abraço.

jabeiteslp disse...

um verbo amor de um todo em flor..

olá Luisa
i`m back
beijinhos(º_º

AFRICA EM POESIA disse...

Minha amiga vim deixar um beijo e...

OUTONO


Estou a ver-te...
Árvore de Outono...
Porque estás nua?
Porque deixaste fugir
As tuas folhas...
E os teus ramos...
Ficaram secos e frios...
Longos e nus...
Porque deixas
Porque sofres?
Porque tem frio?

Porque...
É preciso renascer...
É preciso sofrer...
Para viveres novamente...

E assim árvore nua...
Vais voltar...
Mais frondosa...
Mais bonita...
E...
Vais estar outra vez...
Pronta para a nova Primavera..

LILI LARANJO

Maria Luisa Adães disse...

Africa em poesia

Um encanto,

O preparar do Outono

e a contagem do tempo, para a próxima Primavera.

Beijos e obrigada pelo lindo poema

Mª. Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Olá Jabei

You are back and I´m happy for that
Good, my dearest one!

M. L.

MC disse...

"Palavras"

São aquelas coisas lindas que tu gostas de dizer, brincar, encantar,
escrever.
Palavras, sentimentos, ficções, verdades, caminho de quem gosta de escrever e amar.

Gostei!

M.C.

Maria Luisa Adães disse...

Olá M.C.

Seja benvinda, amiga com nome , mas de perfil fechado.

E assim vai ficar!

Obrigada por gostar,

M. L.

Anónimo disse...

Gostei da forma como te afirmas,
nesse dizer tão teu, nessa angústia que se avizinha, na procura, constante de muito mais.

E o mereces, mas o tempo está voltado para o outro lado!

Estradas

Amor feito Poesia disse...

" Quisera eu ...
Ser o jardineiro de minh'alma.
Formar canteiros de sentimentos
Regar meus sonhos
Podar minhas dores "

Bruno de Paula

Feliz Sábado....Beijos de coração prá coração! M@ria

Maria Luisa Adães disse...

Amor Feito Poesia

Lindos seus versos e eu digo:

Procura no silêncio do teu coração,

Deixa que se acendam as velas do teu Altar,

E rodeada de Luz...

Tu sejas a Luz Comigo.

Podia dizer-te, estive tão longe
de ti...
Mas não seria Verdade,
Estive sempre...tão perto!

Mª. Luísa

Lilá(s) disse...

A força das palavras! lindo!
Bjs

Juan Carlos T. V disse...

Muito obrigado por entender minhas palavras e pela sua visita amiga

Passe para visitar eu gosto mais esta frases...

Muito obrigado por entender minhas palavras e pela sua visita amiga

Passe para visitar eu gosto mais esta frases...

Muito obrigado muito pensado poema

Juan Carlos T. V disse...

esta frases...

Apenas meu senso e minha mente
Podem predominar
E ensinar Palavras,
De pessoas conversando
Sem estar falando,
De pessoas escrevendo
Que não vão ser lidas,
Nem cantadas,
Ou partilhadas.

Muito obrigado muito pensado poema

Eeduardo Gonçalves disse...

Olá Amiga M. L. U. ADÃES. Venho dar-te os meus parabéns, pela beleza de teu último poema, nos 7 degraus. Continuas a ser a mesma poetisa que eu conheci. E que nunca te esqueceu, embora o pareça. Tenho pena de não ter sido eu a convidar-te tal como era o meu dever, mas quis dar um jeito aos blogs, antes de o fazer. Tal não foi possível, paciência, Estás convidada e aceite, como seguidora, Se tal for a tua vontade. Teremos oportunidade de falar sobre outras coisas. Por agora um abraço deste amigo Eduardo.

Maria Luisa Adães disse...

Eduardo

Adorei encontrar-te.

Deixei meu nome como tua seguidora,
nos três blogs que abriste.

Tu talvez te esqueceste e não te tornaste meu seguidor e através do
nome que mandaste, não chego a lado algum.

Lamento!

Mª. Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Humana

Já tentei entrar no teu blogs para agradecer, mas ele não abriu.

Lamento muito!

Mª. Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Juan carlos

Já te escrevi para o Perú.
Espero por teu nome nos meus seguidores, só assim será mais fácil o contacto.

Mª. Luísa

Mona Lisa disse...

Olá Luisa

Adorei o teu poema.
Lendo-o recordei o poema "Palavras" de Eugénio de Andrade.

Bjs.

Baby disse...

Amei o seu poema e vou contar-lhe um segredo: gostaria de ter sido eu a escrevê-lo...tem tanta coisa que subscrevo!

É um prazer lê-la.

Bjs.

Janita disse...

Soberbo poema amiga Maria Luisa.
Sem ficção, igual a ti mesma e, por isso, inigualável!..

Obstinada sim, a perseguir no teu caminho a procura dos verdes prados, que apaziguarão essa ânsia de amar, ser amada, compreendida e aceite nessa diferença. Sem seguir a quem te disser: "Vem por aqui".

Há muitas coisas em que me identifico contigo e com o que escreves e sentes. Uma delas é esse inconformismo permanente, o não aceitar ser comandada por normas nem regras que nos imponham caminhos que não desejamos seguir. Ainda que a nossa escolha não seja a melhor nem a mais certa e sejamos sombra, silêncio e...nada.

Amiga, perdoa não ter vindo mais cedo, mas nestes últimos dias a minha mente tem andado num turbilhão, pensando em coisas que não consigo entender. Mas tudo passa, sobretudo quando resolvemos tomar uma decisão.

Continua a dar vida às tuas palavras sentidas Maria Luisa, eu cá estarei,sempre, de coracão aberto e livre para as ouvir.

Beijo amigo.

Janita

"Cantinho Poético" disse...

Falar de amor e luas de setembro
deixa-me um vento frio de esperança,
mas quando o verso vem todo acertado,
não acontecem sóis de primavera.

Nathan de Castro

Saudações Poéticas!! M@ria

Daniel Costa disse...

Maria Luisa

Reli o poema, porque gostei muito do seu teor. Apresentou-se como uma ode à liberdade se pensamento, que prezo muito.
Beijos
Daniel

Vitor disse...

Palavras leva-as o vento
Que bons ventos as tragam de novo
E de novo as traga com sentido
De quem tão bem as escreve...sentindo
que tudo tem sentido,até mesmo o chorar
Pois quem não chora,não sabe amar

Bj*

Ana Tapadas disse...

SEr diferente é bom.
Que belo poema! que ritmo bom.
Beijo

Maria Luisa Adães disse...

Ana Tapadas


Obrigada por gostar!

Maria Luísa

Noé disse...

Belas palavras, degraus escorregadios?

poetaeusou . . . disse...

*
ai as palavras,
,
sentidas e belas palavras,
as palavras de Maria Luíza !
,
conchinhas,
,
*

Anónimo disse...

Essas "Palavras" podiam ser as minhas palavras, mas a Maria Luísa,
se lembrou, sentiu e escreveu.

Eu esqueci! Belo poema!

A.

BLOG DO PROFEX disse...

Com certeza, sempre é tempo de amar. Em cada evento percebemos o amparo do amor e a busca de expectativas...
Frande abraço!!

•!¦[•Mara Bombo•]¦!• disse...

Querida Maria Luisa, agradeço sua visita no CLIP - Centro Literário de Piracicaba, e seu doce comentário, será sempre bem-vinda. Gostaria de ter sua permissão para levar comigo esse seu belo poema para publicação.
Meu e-mail marabombo@gmail.com
um grande beijo e obrigada.
Mara Bombo

victoria disse...

Mi querida M Luisa he pasado para desearte que tengas un fín de semana lleno de cariño y bendiciones
Besitos mi niña
Victoria