quinta-feira, 16 de setembro de 2010

FOGO

Procuro aquele amor de fogo
Onde se escondeu esse fogo?
Procuro meu amor.

Ele foi levado para outro mar,
Eu fiquei no mesmo mar
Olhando a distância ao Luar.

Não posso percorrer a estrada
Feita da espuma do mar
E te encontrar no outro lugar.

Meus sonhos se rasgam
Entre a "Maré e a Bruma"
E continuo a esperar.

Vejo o mar, um barco a navegar,
Mas não vejo o outro lado do mar
O convexo da Terra, não deixa olhar.

E o fogo com água a pingar
Se pode apagar
E acabar,  com nosso acreditar.

Mas continuo a procurar, aquele fogo
E sei onde está,
Mas não lhe posso tocar.

Eu sei ver-o-mar e as sombras,
Conversando entre espumas
De símbolos e enigmas.

Me parece e sinto
Que perdi esse amor de fogo
Por culpa da anatomia
Do lugar onde me encontro.

E a Canção do Mar é tudo
No fim de meus dias!...

Maria Luísa

41 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Luísa

SOBERBO!

A constante insatisfação e dor de quem procura o amor!
Um fogo que consome!

P.S. Para quando a edição de um livro?

Bjs.

Maria Luisa Adães disse...

mona Lisa

Grata pela tua presença em mais um
poema de procura onde entra o "fogo e o mar", a distanciar essa
procura.

O livro talvez venha em Outubro.

beijos e obrigada

Mª. Luísa

MC disse...

"E a canção do mar é tudo
No fim de meus dias!"

E com a canção do mar,
começaste teus dias.

M.C.

Maria Luisa Adães disse...

Verdade,

Com a canção do mar
comecei meus dias!

Como o sabe? Pressentiu? Talvez...

M. L.

Vozes de Minha Alma disse...

Mas à poetisa, deixo umas palavras escrita dentro da liberdade que temos, numa simbiose com água, fogo, sonhos, simbolos e enigmas.

Na liberdade que a matéria anseia
Essa que sem os grilhões imensos
Na escuridão brilha uma candeia
Dos sonhos profundos intensos

A liberdade é o cântico do coração
Que o amor febril, de amor latente
Dos sentimentos de eterna paixão
Essência da Vida, sagrada e ardente

Um abraço afetuoso, beijos

Marilu disse...

Querida amiga, "Amor é fogo que arde sem se ver, mas é finito posto que é chama"., mas enquanto ele arde, queima, incendeia nossa alma é tão bom. Lindo poema. Beijocas

Ingrid disse...

sem folego!.. le-se sem respirar..
o amor é fogo que amamos..
um beijo.

Maria Luisa Adães disse...

Vozes de Minha Alma

lindos, sensíveis, ternos, repletos de luz e amor,
quase Divino...
Os versos que me mandas.

Tanto eu mereço, meu amigo, de há tempos, muitos tempos passados.

Obrigada, mais tarde, não muito mais, eu te escrevo.

Beijos,

Mª. Luísa

Baby disse...

Vim te conhecer, sim, um simples clik me trouxe até aqui e subi os 7 Degraus com muita expectativa (o 7 é um número mítico para mim),expectativa que se transformou em prazer, harmonia, bem-estar. Adorei a sua poesia, suave e forte, leve e densa, bela e profunda, Ficarei fã e venho agradecer a gentileza de ter-me visitado, assim como as palavras que lá deixou.

Tenho a certeza que encontrará esse amor de fogo, no mar , na estrada ou em qualquer lugar, porque amor é fogo que arde sem parar, (ou sem se ver...)e um dia sei que o avistará, quem sabe numa noite de luar?
Beijo.

Ana Tapadas disse...

Muito bom, mesmo!
O fogo que consome e inicia...
Beijinho

Luisa Gomes disse...

Olá Maria Luisa!
LINDO ESTE "FOGO"!!!
Assim como os outros
anteriores,Parabéns por continuar.
Pois tanto talento não pode ficar escondido.

Bjs.

Daqui de Dakar

(Ainda estou de férias)
volto a 5 de Outubro

Anónimo disse...

"Me parece e sinto
Que perdi esse amor de fogo"...

E eu o encontrei abandonado e triste e te vim trazer ao seu lugar.

Alegra-te, te trago aquele amor de Fogo.

belo poema!

A.

Fernanda disse...

Amiga Luísa,

Espero que nessa procura incessante nunca se sinta vencida.

Beijinhos

Vitor disse...

Entre o fogo e a maré
não há que arredar o pé
É ler de fio a pavio
Como sulcar águas num navio
Avistando uma ilha no horizonte

...e uma história de mar e fogo no "outro lado"

Bj*

Miguxa disse...

Belo o Teu "FOGO" de amor.

Saudades
Margarida

Fernanda Barcellos disse...

Maria Luisa,

Amadaa, quanta saudade.
Jamais te abandonarei, estarei sempre contigo, tu estará sempre em meu coração.
Não vou fugir nunca, pode ter certeza. Lindaas palavras, como sempre. Suas palavras tocam a alma humana.

Lindo final de semana. E não fuja de mim também.

Beijos no coração.

Carla disse...

Palabras hermosas para describir al amor y al fuego y llevarlos a enlazarlos como lo haces...muy lindo!!!
Cariños desde Argentina...buen fin de semana.

José disse...

É um fogo que não se apaga
mesmo com a passagem do tempo
há uma chama quase disfarçada
continua ardendo lentamente

Um beijinho,
José.

poetaeusou . . . disse...

*
alucinado fiquei,
a ler-te,
,
alem do silencio
na virgem maré,
a amansada onda
divaga a miragem
da alucinada praia,
areal de sonhos
escolhos espantados
cansaços tormentosos
de ausência, o meu pranto !
,
conchinhas,
,
*

pekenasutopias disse...

Eu já conheço este teu poema, minha amiga. Penso que o terás publicado no Prosa Poética porque me recordo perfeitamente dele. Até me lembro de te ter questionado sobre ele,coisa que eu raramente faço. E o A MARÉ E A BRUMA, como vai?
Abraço grande!

Maria Luisa Adães disse...

Agradeço a todos quantos me têm escrito.

Neste momento, por motivo de saúde,
não posso visitar vossos blogs.

Lamento não o poder fazer!

Amo e enalteço, a Amizade de todos!

Com ternura,

Maria Luísa

beites disse...

"Eu sei ver-o-mar e as sombras
Conversando entre espumas
De símbolos e enigmas."

inspirado amor o teu
num eterno fim dos dias

olá
cá estou de fim de semana
e que seja tambem
muito feliz pra ti

beijinhos Luisa *_*

beites disse...

boas melhoras Luisa
que tudo vá bem
jocasª_ª

Maria disse...

Amiga, mais um poema lindíssimo.
O amor é um fogo mágico e intenso que aquece a nossa alma mas, que nem sempre conseguimos manter acesso. Depois há que seguir em frente e acreditar que em breve vamos encontrar a nossa alma gemea e acendermos a fogueira do amor.
Bom fim de semana.
bjs do tamanho do infinito
Maria

Janita disse...

Querida Maria Luisa.
Esta relação água e fogo que te inspirou neste poema, fez-me pensar na incompatibilidade destes dois elementos, logo uma relação difícil e de grande risco.

A água sugere-me emoção, sensibilidade, profundidade de sentimentos. Já o fogo me lembra agressividade, ímpeto e, não sei bem porquê, um certo egoísmo.

Esse amor de fogo que procuras, mas temes que a água o possa extinguir, revela insegurança e instabilidade.

Os teus poemas exercem sobre mim/ Um fascínio que eu ainda não consegui definir/
O certo é que fazem a minha imaginação voar incontrolável/ para sitios distantes e estranhos/ Aonde eu não devo e nem quero ir.

Beijinhos

Janita

Maria Luisa Adães disse...

Janita

O poema está muito bem analisado!

Leva-nos a locais indefinidos, instáveis, de mundos secretos, quase subterrâneos onde as incompatibilidades se juntam, lutam e ganha o mais forte.

Instabilidade, incerteza, medo,
fragilidade, tudo misturado numa vontade imensa de encontrar os verdes prados.

Mas enquanto não os encontrar,
continuo a escrever.

Beijos,

Mª. Luísa

beites disse...

até pa semana Luisa

e que nunca deixemos o fogo
acabar
no existir e forma de amar...º_º

º~_~º

feliz e semana Luisa

Vieira Calado disse...

O mar é hábil

em trazer as coisas de volta,

sabe?

Beijocas

Camila Fontenele disse...

Gostei do poema e pretendo sempre visita-la.
Ah, o amor! É fogo mesmo!

Um beijo

Maria Luisa Adães disse...

Vieira Calado

"Sei que o mar é hábil
em trazer as coisas de volta".

Mas também sei
que as envia mortas!

E isso de que nos serve, meu amigo?

Obrigada,

M. L.

Nilson Barcelli disse...

Maria Luísa, adorei o teu poema. É magnífico...
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Amor feito Poesia disse...

Naveguemos docemente
Sob o clarão do luar;
suspire o vento nos juncos,
ponha-se a água a cantar...

Mihai Eminescu

Feliz Semana !Beijo-te o coração! M@ria

RECANTO DA POESIA disse...

As flores refletem bem o verdadeiro. Quem tenta possuir uma flor verá a sua beleza murchando. Mas quem olhar uma flor no campo permanecerá para sempre com ela. - Brida

Paulo Coelho

Feliz e abençoada semana...Beijos! M@ria

Maria Luisa Adães disse...

Recanto da Poesia

Assim é uma flor, tal como diz:

Uma vez arrancada do solo ao qual pertence, fenece.

Mas de a olhamos e a deixamos ficar, ela se ergue até ao infinito e dá novas flores.

Beijos,

Mª. Luísa

Baby disse...

Maria Luisa, passei para lê-la de novo e fico desejando rápidas melhoras.

Um beijo.

Brown Eyes disse...

Maria Luísa lindo poema, já nos habituaste a isso. O amor virá ter contigo novamente e quando acontecer verás que não foi preciso um barco, o vento transporta-o. Beijinhos

Maria Luisa Adães disse...

Baby

Agradeço a gentileza e o cuidado

de me desejares as melhoras.

Estou em falta, mas a saúde não o permite de momento. Espero voltar!

M. L.

Maria Luisa Adães disse...

Brown Eyes

Este amor aqui cantado, pertence a todos os amores da terra.

O Planeta é a casa de todos. Eu falo de tudo quanto conheço, e sou
de certa forma, a narradora de todas as vidas e todos os amores.

Grata pela tua presença e tuas belas palavras.

Com ternura, agradeço.

Mª. Luísa

Anónimo disse...

Procuro meu amor!

E te digo:

se não o encontrares, eu te ajudo a procurar e talvez eu possa ser, esse amor.

A.

Maria Luisa Adães disse...

Agradeço, mas leia o que escrevi
abaixo.

Estamos todos no mesmo barco e na
procura, de todas as coisas.

Então, "Eu não sou Eu!...

Agradeço,

M. Luísa

Janita disse...

Querida Maria Luisa.
Ainda não tive oportunidade de voltar ao "Prémios" e aos belos e pertinentes textos que escreves tão brilhantemente quanto fazes poesia. Lá irei com prazer e me deixarei enlevar pelo teu talento infinito.
Beijos com carinho
Janita