quarta-feira, 7 de abril de 2010

APENAS...OLHEI!


Olhei
E não te reconheci
E tanto te amei
Num amor sensual,
Ocasional,
Ardente...

Em mim, havia amor,
Eu era
Fogo e terra
Nesse amor,

Mas tu...
Não tinhas aquele amor

Que ressalta
Que prende
Que ressuscita
E torna a noite
Em dia
E não deixa descansar...

Em ti não existia amor!

Apena o sentir
De um encanto
Feroz e agreste
E depois o acalmar
E retornar sempre,
Até um dia
Não voltar...

Passou...
Nada ficou
E no fundo de mim mesma,
Bem no fundo,
Reconheci
Que não te tinha amado,
Apenas desejado!

Em ti não havia amor
Em mim,
Não sei que se passou
Nada ficou
Nada deixou!
E quando te vi
Não te reconheci!

Esqueci!...

Maria Luísa

10 comentários:

MC disse...

Adorei teu poema!

E gostei de te encontrar com essa imagem que simboliza a Maggie - a
tua grande amiga.

Com mais tempo, volto.

beijos,

MC

Anónimo disse...

Apenas olhaste e não o reconheceste

Tu própria dizes que não foi amor.

Na realidade, tantas vezes se confunde o Amor, com o desejo de um instante e se deixa alguém a sofrer, por uma situação bizarra
que a nada conduziu.

Mas quem pensou que amava e no fundo até amava, sofreu males tamanhos, por um inútil que não valia nada!

Gostei quando dizes:

"Esqueci..."

Lindo poema!

Argus

Anónimo disse...

Belo poema!

Nostálgico, um pouco triste, mas belo.
E tu tiveste a dita, do esquecimento.

Anthos

Maria Luisa Adães disse...

Os comentários não aparecem?

O blogs diz ter 2 comments, mas tem 3.
porque não aparece o outro?

Mª Luísa

Pelos caminhos da vida. disse...

Triste poema mas não deixa de ser lindo.

beijooo.

jabeiteslp disse...

desencontros
que no fundo fazem de nós
tontos ?

beijinhos Luisa

e uma feliz noite

Imagem e Poesia disse...

Olá, amiga!

Mais um poema refletindo sentimentos nobres, desencontros...

Beijinhos e parabéns pelo dom.
Ceiça

Felina Mulher disse...

Um poema triste,mas nem por isso perde a beleza do sentimento.


Uma linda noite.

MC disse...

E voltei e ainda bem que te encontrei.
Poema triste? Isso foi há séculos!

Esqueceste? Tu dizes que sim e eu acredito!

Então foi uma experiência que já deu para contar.

Muito bom o poema!

Anónimo disse...

Que bom esse esquecimento por
alguém que nem era gente!

Linda essa confissão de amor e
esquecimento, desse amor!

Anónimo