segunda-feira, 22 de março de 2010

NEM SEMPRE


Nem sempre se fala de amor,
Nem sempre se fala de nostalgia,
Nem sempre se fala o que se pensa,
Nem sempre se fala o que se sente,
Nem sempre se vive de euforia!

Nem sempre!

Apenas tu existes
No meu dizer de poeta,
Apenas tu me chamas de poeta,
Apenas tu...e ninguém mais!

Nem sempre existo!

E vivo no encontro e desencontro
Do que sou,
Vivo da minha ilusão,
Vivo da minha insensatez
E da minha lealdade

Que ninguém sabe
Que ninguém vê
Que ninguém sente
Ou pressente,
Neste meu dizer...

Nem sempre!

Tentem lembrar este meu canto,
Tentem apreciar
E não esquecer
O que não vê
O que não sente.

Nem sempre, assim é!

A solidão e a luz da noite,
Cobrem com seu manto
Os céus e as estrelas
De quebranto...

Nem sempre!

Apenas eu fico,
Apenas eu espero,
Apenas eu suplico,
talvez por ser poeta
Esquecido!

Nem sempre, eu sou!

Mas fico sempre esperando
Até àquele dia,
Perto ou distante,
Onde te possa encontrar
Beijar e amar
Sem parar,
Como se o meu mundo
Fosse morrer,
Naquele instante.

Nem sempre sinto,
Nem sempre!

E eu morro,
No desejo
Do meu Canto.

Nem sempre, eu morro!

Tudo o resto
É poeira
E ar.

Mas nem sempre
Eu reparo,
Naquele instante.

Tento olvidar,
O meu dizer
De poeta
Por algum tempo,

O Teu tempo...
E esquecer!

Maria Luísa O. M. Adães

21 comentários:

MC disse...

lindo poema!

Dificil de comentar, mas excepcionalmente bom.

Volto mais tarde!

MC

jabeiteslp disse...

alma de poeta
apontada ao valor de ser
de arco e flor por seta...

caramba que puchaste os galões...

beijinhos da Covilhã

Maria Luisa Adães disse...

Jabei

Obrigada por "essa dos galões" .

Estou furiosa com o sapo. Os comentários que me enviam, depois de aprovados, não entram no blogs
e desaparecem como se não tivessem existido.
Modificaram o que estava fácil e em Paz, para uma confusão sem nexo.

Não sei se vou continuar com o Sapo, pois se oe comen~tários não entram e desaparecem, eles não merecem a minha poesia.

Para mim "Nem Sempre" está um espanto, mas eu sou suspeita.

Beijos e obrigada,

Mª. Luísa

Miguxa disse...

Maria Luísa,

Poeta Amiga,

Nem sempre o sentes
Pressentes mas,
O Dom está lá...

Belo, como só tu sabes
Beijo terno
Margarida

Maria Luisa Adães disse...

Miguxa

Obrigada por escreveres e gostares
penso que tem qualidade, mas me parece que a equipa que tratou da triste modificação, não tem capacidades a qualquer nível para o fazer. Isto que digo se relaciona com o sapo.
Ja escrevi, telefonei para a Av. F.
Pereira de Melo, mas tem de haver alguém a comandar esta equipa.
Se necessário. vou falar com esse alguém.
Para já, o sapo fica parado por
negligência de quem fez a transformação, apenas para se salientar e se tornou menor em vez de Maior. Mas isto fica para os cérebros que sem humildade,
se metem em tarefas que desconhecem
e prejudicam os outros.

Obrigada pela tua amizade. Não sei se volto ao Sapo, mas sabes onde me encontrar.

Beijos,

Maria Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Parece que o Sapo não necessita de qualidade. E o que fez foi insensato. Infelizmente há os que batem palmas apalermados.
Na conversa que tive pelo telefone,
nem me souberam responder a razão
de tal atitude, mas eu já sei a razão e a quem isto está entregue.

Desculpa a maçada, mas preciso de descansar. A ignorância, o melifluo,me fazem mal.

Miguxa, estou a mais, num ambiente que não me pertence. Lamento se te perder!

Mª. Luísa

jabeiteslp disse...

não é todos os dias que se fazem poemas assim...

eu li a tua reclamação bo blog dos blos, é que eu tambem me passei...

às vezes poderá não ser do Sapo
tenho por aqui recebido um mail de um sitio que não sei quem seja
a dizer que não foi possivel fazer a entrega do mail..
quase tosdos os dias

faz um escaneamento completo
talvez algum tracker ou assim...

beijinhos e feliz tarde

( o meu nome é joao antonio beites lopes pires, daí o jabeiteslp )

Maria Luisa Adães disse...

João

Eu já falei pelo telefone, com a Av. Fontes Pereira de melo -Lisboa- sede do sapo e já tenho o nome do Director do Portal do Sapo.

O meu blogs deixou de receber os comentários que me fazem; não entram no blogs e desaparecem.

Eu estou a colocar em meu nome, no
comentar, o nome das pessoas que
enviaram comments e digo que os mesmos não entraram, depois da alteração feita pela equipa do Sapo.

Cerca de 20 pessoas. Eu tenho 196
poemas no sapo e 4.956 comentários.
Tenho um blogs de qualidade, mas se não gostam da qualidade, eu vou embora.´
Quem fez isto foi a equipa do sapo
e a mim, infelizmente prejudicou-me
e muito.

Está tudo alterado, não recebo os comentários, não entram no blogs
e a letras à direita que dizem
"seguinte/último", quando a página do comments acaba, não existem! Então não posso mudar de página.

Mas esta miséria, foi feita pela equipa do sapo para ser considerada a maior.
Podem não ter prejudicado mais ninguém, mas o m/ blogs cheio de azar e qualidade, ficou sem concerto.
Ainda estou à espera do que eles vão fazer.
Se nada fizerem, marco entrevista para o Director. Eu vivo em Almada, agora,
mas fiz uma vida inteira em lisboa
e a minha familia é de Lisboa.

Isto não fica assim. Eu pertenço à
Associação Portuguesa de Escritores
mas a equipa agiu sem qualquer tipo de dignidade, só para se sobressair. Foram eles, pois eu falei com o Senhor da Ajuda do Sapo e ele não teve coragem de contestar nada do que eu disse.
Fui e sou educada.Mas estas coisas não se fazem num meio literário.

Estou a aguardar mais uns dias.

Beijos e obrigada por me mandares o teu nome.

Podes escrever para o Sapo, eu recebo no outlook e depois em meu nome, transmito para o blogs o nome de quem me escreve, até isto se resolver.

Maria luísa

Imagem e Poesia disse...

Olá, querida!
Parece-me que estás a ter problemas com teu outro blog. Já perdi todo um blog de poesias, assim como o teu. Se chamava Violet Witch. E também era bem comentado. Mas... Fazer o quê?!
Tu tens o dom e podes fazer mais e melhor a cada dia.
Beijinhos e fica feliz.
Ceiça

Brown Eyes disse...

Maria Luisa nós nunca esquecemos este cantinho. Linda foto
Beijinhos

tossan disse...

Nem sempre eu sou o que sou, as vezes limpo o meu rosto da tinta e choro ou fico feliz e ninguém nota. Belíssimo! Beijo

Anónimo disse...

É bem verdade, Maria Luísa, que este poema é uma maravilha!
Se vou conseguir publicar estas palavras, não sei... "nem sempre" o consigo, mas tentarei!
Abraço grande!

M. João

Eduardo Miguel Pardo disse...

Lindo lindo lindo teu comentário tão bem aceito por mim de um jeito que só eu soube ler e ouvir, rs
Muito legal e pelo que te agradeço, bjs e um grande abraço.

MC disse...

"Nem Sempre"

É um poema de uma beleza incontestável!

Bem escrito,
bem idealizado,
bem sentido,
a não ser esquecido,
mas lembrado.

A qualifico como poeta que é!

Obrigada por escrever essas belezas

MC

Anónimo disse...

Não olvides o teu dizer de poeta

- nunca!

Continua com tua forma de escrever, mesmo que não entendam, mas continua, és melhor, muito melhor, do que eles.

Parabéns, com toda a sinceridade e do meu coração.

Anónimo disse...

"Nem Sempre"

É um poema repleto de beleza.
Intelectualizado, mas percebível.

Gosto!

Febo

Anónimo disse...

"Nem Sempre"

É um poema belo!

Intelectualizado de forma ligeira.

gostei!

Ferdos

Anónimo disse...

"Apenas eu fico,
Apenas eu espero,
Apenas eu suplico,
Talvez por ser poeta
Esquecido!..."

Lindo, lindo,lindo.


Asdrubal

Captain Dumbass disse...

I bet this is a very nice poem.

Maria Luisa Adães disse...

Captain Dumbass

I bet you ten to one, my poems are wonderful.
You do not write and understand
portuguese - that is understood.

No problem! You are my friend that´s enough.
"A word is enough to the wise".

With love,
Mª Luísa

DO CASTELO disse...

É em defesa da cultura que convido todos os interessados a participarem nos VIII Jogos Florais de Avis, uma iniciativa dos Amigos do Concelho de Aviz – Associação Cultural e cujo regulamento pode ser consultado em: www.aca.com.sapo.pt
Fernando Máximo