quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Desconhecido

Meu espírito sentiu a mudança               
Internet

Meus ouvidos ouviram à distância
Meus olhos viram

E te seguiram no grito que subia
Até avistar a casa
Na praia longa e sombria

Entraste e esperaste por mim
Eu me despi antes de chegar a ti

Tu olhaste fundo
Num fundo atrás de mim
E à frente de ti

Quem vinha comigo
Eu não conhecia
Mas tu sabias...

Vinha do mar à nossa volta
Vagueando por entre ondas altas
E nos ia levar

Tu sabias
Eu não sabia

Tu sofrias
Eu não entendia...

Eu estava despida
Junto a ti

Desamparada na areia fria
Percebi
A amargura da partida

Chorei esquecida do que tinha vivido
Num tempo quente de amor
E entrei contigo, numa outra vida!


Maria Luísa Adães


Visualizações :  90

15-10-2014

22 comentários:

Anónimo disse...

"Desamparada na areia fria
percebi a amargura da partida"

Lindo teu poema
De espelhos e partidas

Belo!

Armando

✿ chica disse...

UAU! Que beleza!!! Muito lindo,Maria Luiza! bjs, tudo de bom,chica

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Um poema cheio de saudades,falando de uma partida.
Amei amiga Maria Luísa.
bjs brasileiros.
Carmen Lúcia.

Cidália Ferreira disse...

Brilhante poema. Adorei

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Rogerio G. V. Pereira disse...

Há sempre um destino
mesmo se "Desconhecido"

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Poema magnífico!
Beijo*

Santa Cruz disse...

Luísa: Que belo poema adorei ler é um poema cheio de saudades, mas muito belo mesmo.
Beijos
Santa Cruz

Franziska disse...

Desconocidos somos aún para nosotros mismos. Necesitamos un tiempo del que, a veces careces, para actuar. Para impedir que la felicidad nos abandone. El miedo nos impide pedir que no se aleje aquel a quien deseamos tener a nuestro lado.

La realidad está hecha de pequeños e insignificantes gestos que abandonamos y que después lamentamos siempre no haber hecho.

¿Por qué permitimos que el nuestro amor se aleje? El instante, la ocasión perdidos, no volverán a buscarnos más.

No sé si acierto a ver más de lo que tú has querido decir. Un abrazo. Franziska

emanuel moura disse...

Simplesmente belo querida amiga , voce e maravilhosa nas palavras que tao bem escreve ,muitos beijinhos

Ingrid disse...

de tirar o folego amiga...
para ler e reler... e sentir.
beijos de saudades

Toninho disse...

Linda e profunda inspiração nos desejos que alimentam e fazem sonhar, que prepara os caminhos onde o amor aflora e espera.
Belo trabalho da poesia.
Parabéns Luiza.
Meu terno abraço.
Beijo de paz.

Anónimo disse...

Olá

Maria Luisa!

Faz tempo. Que disse:

...Eu vim de longe
De muito longe
O que eu andei p´ra´qui chegar...

Aos 7 Degraus.

Agora escrevo:

...Eu vou para longe
Para muito longe
Onde nos vamos encontrar
Com o que temos p´ra nos dar ...

An

Mar Arável disse...

Quando as palavras respiram por guelras

acontece bela poesia

heretico disse...

belo poema em seu cântico nostálgico

beijo

Elvira Carvalho disse...

Quando a saudade se faz poesia, nasce o poema.
Um abraço

Zilani Célia disse...

OI MARIA LUISA!
SIMPLESMENTE LINDO,DE TOCAR O CORAÇÃO MESMO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Anónimo disse...

Mariaa Luisa

Por engano, no dia s6.
Assinei An em vdz de


Am

Graça Pires disse...

A saudade num poema sentido...
Beijo.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Maria Luisa!

Partida do outro alguém tem sempre sabor amargo, tal como neste denso e elaborado poema.

Um abraço e boa semana.
Vitor

Rita Freitas disse...

Muito bonito e sentido este poema.

Bjs

Manuel disse...

Cara amiga.
Publicou este poema no dia do meu aniversário.
Vou considerar como uma prenda imaginária, pois, nele encerra um mundo de sentimentos.
Que continue bem e com essa enorme inspiração.
Um abraço.

Lídia disse...

1 BEIJINHO PELA BELEZA
PELAS SAUDADES
PELOS ADEUS!!!

LÍDIA