terça-feira, 22 de outubro de 2013

Desesperados

Desesperados tentamos reconstruir            

As distâncias

Desesperados contornamos obstáculos
Simultâneos

Desesperados procuramos solidão
Em todos os lados

Desesperados olhamos a noite
Com olhar vago

Desesperados morremos aos poucos
E nada descobrimos na superfície densa

Desesperados aguardamos a razão fantasista
Da nossa existência

Desesperados olhamos os contrastes do mundo
E a única natureza que nos visita 

E as mães ao longe
Chamam por entre névoas espessas
A ausência de seus filhos amados.


Maria Luísa Adães

40 comentários:

✿ chica disse...

Triste, intensa, linda e nos emociona até! beijos,lindo dia,chica

Maria Luisa Adães disse...

Chica

É isso que dizes!

Tanta verdade e a verdade emociona!

Agradeço,

Maria Luísa

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Um poema triste,mas com muitas verdades.
Adorei amiga Maria Luisa.
bjs e um indo dia à você.
Carmen Lúcia-mamymilu

Lilasesazuis disse...

Ah, desesperados....

Difícil encontrar o equilíbrio em meio a tantas emoções do cotidiano.

beijinhos, e tenha um lindo e tranquilo dia!!

Lígia e =ˆˆ=

POETA CIGANO disse...

Querida amiga e grande poetisa Maria Luisa !!

Senti-me honrado com mais uma sua presença Em minha página. Passando para retribuir e deixar o meu abraço e carinho. Perdoa-me um pouco A ausência, pois estou meio atarefado e sem Tempo, mas não a esqueço.
Estava sentindo muito a sua falta em meu espaço. Adoro seus textos. Sempre muito lindos e extremamente poéticos, como esse último postado. Meus parabéns sempre.
Uma semana maravilhosa é o que desejo Para você. Com muita paz, amor e, felicidade em Seu coração. Que haja muita luz em seu caminho.
Beijos de luz !!!

POETA CIGANO – 22/10/2013

http://carlosrimolo.blogspot.com
“Poesias do Poeta Cigano”


Manuel disse...

Sem desespero, confesso, que senti muito esses momentos que nos deixa nos versos sentidos.
Algo triste? Talvez! Mas a solidão é irmã dos poetas.
Adorei.
Beijinho

José María Souza Costa disse...

Olá, bom dia.
Tomara que estejas bem.
É o tempo que nos convida a recordar dos momentos, e fazer dos sonhos, cantos com ou sem rimas. São os sentimentos, que desperta na Alma, os desejos de cantar e conquistar. Ser, o que desejar ser. E assim, segue os olhares e os risos, quase sempre debochando do raiar de um novo contentamento.
Abraços

CHARO disse...

Cuanta tristeza hay en estos bonbitos versos.......la desesperanza no nos lleva a ninguna parte.Besicos

Sor.Cecilia Codina Masachs disse...

Mi muy querida Mª Luisa, un triste poema que nos refleja una parte de la vida. Hay desesperación en las situaciones, porque no hemos aprendido a amar y nos hacemos daño.
Pido a Dios, que sepamos vivir en paz los contratiempos, aunque muchos de ellos, como la guerra y esa maldad del hombre nos impidan hacerlo.
Con ternura
Sor.Cecilia

Maria Luisa Adães disse...

Charro

"A desesperança no nos lleva a ninguna parte!" Aceito e louvo!

Mas a verdade, é sempre triste vacilante e desesperada e o momento que se vive

"É isto mesmo" levado ao cimo, no desespero do poeta!

Gracias, amigo e un beso

Maria luísa

Mar Arável disse...

Sem desespero tentamos conquistar
o improvável

Ana Bailune disse...

Um chamado deveras angustiante... poema muito lindo!

emanuel disse...

Uma triste realidade num lindo poema que nos fara refletir como e viver uma ausência forçada se pode transformar numa saudade angustiante ,muitos beijinhos

Ingrid disse...

angústia em versos querida..
um apelo de amar...
beijos e beijos..

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Maria Luíza
Com grande esperança vemos o mundo mais 'cor de rosa' e, caso contrário, é assim como vc bem descreveu...
Bjm de paz e bem

FG disse...

Triste pero muy lleno de realidad, en la vida hay cosas que nos llenan pero también las hay que nos desilusionan, debemos vivir y sentir siempre al máximo para al menos disfrutar un poquito de todo.

Qué bella poesía!!!!

Besitos!!

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Maria Luisa!

Dito da forma como o dizes,de maneira sentida e com verdade, consegues fazer da tristeza sentimento ainda mais triste - a que se não consegue escapar...

Beijinhos amigos, e fica bem.
Vitor

Anónimo disse...

"Desesperados"

É um hino triste à vida que estamos a viver
é o símbolo dos tempos que vivemos
e não queremos ler...
Isso nos traz a verdade,
mas tu és aquela que nos leva a sentir essa verdade, não muito amada no mundo da ilusão.

Acordemos e voltemos à realidade!

Belo poema!

M.C.

EldanY dalmaden disse...

Hola.
Acabo de llegar a los 300 seguidores y quisiera hacerte partícipe, al ser uno de ellos, de mi alegría.
Para ello, he preparado un post de celebración, explicación y un regalo.
No te demores mucho en recogerlo, ya que tiene un plazo.
Es un pequeño detalle, un trocito de mí que voy a compartir un par de días con vosotros.

Este es el enlace al post.

http://relatosfantasiaelfos.blogspot.com.es/2013/10/somos-300-gracias-todos-mis-seguidores.html

Un abrazo y muchísimas gracias por acompañarme en estos mundos blogueros.

Anónimo disse...

Maria Luísa,
Deixe que lhe diga que é minha alma gémea na sensibilidade com que espantosamente verte os seus sentimentos.
Revi-me
Gostei.
As paisagens deliciam quase tanto como a sua escrita magnífica!

Obrigada
Gabriela

Evanir disse...

Querida amiga Maria Luisa.
Hoje estou levando um poema para
enriquecer meu blog.
Amada fiquei confusa todos estão lindos grande poetisa.
Um carinho fraterno da sua amiga , Evanir.
Amiga coloquei seu link mais acima no meu blog não havia percebido desceu demais.

heretico disse...

o refrigério das mães - no desespero dos dias...

beijo

manuela barroso disse...

Um assomo de desespero parece perseguir-nos sempre. E como se a voz do poeta não fosse o grito da alma sua e de outros, agora é ainda mais contundente. Tantos desesperos, e tantas solidões. Mesmo a das mães!
Sinto o seu eco Mª Luisa! Belo demais
Terno abraço, querida amiga

José María Souza Costa disse...

Olá, bom dia, Maria Luisa Adães

Ufa ! Hoje é sexta feira, logo chego aqui com o meu sentimento de Amizade.
Meus desejos de alegria, antes de tudo. Que o fim de semana seja um Templo de Sabedoria. De Paz. Que as energias concentrem-se todas, e que possamos na Segunda Feira, brindarmos com um sorriso, o Dom da Vida.
Um abraço abraçado.

Fábio Murilo disse...

Como qualquer ser humano,
Mal acostumado, descobri
Todas as dores do mundo...
De ver ruir por terra
As amorosas mentiras.
E reescrever minha história
Agora, no papel dos meus pais.

http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

Toninho disse...

Eu lia cada linha deste desespero e olhava para a imagem ilustrativa com seu movimento sincronizado com minhas lembranças e saudades e me vi nas entranhas de sua inspiração. E o final é a síntese de toda esta emoção no grito das mães.
Um bom fim de semana Maria Luisa.
Suas inspirações tocam os sensíveis.
Meu terno abraço de paz e luz.
Beijo no coração.


O tempo das maçãs disse...

Um belo poema, Maria Luisa e a ausência de quem amamos é mesmo dolorosa demais.

Beijo.

Beites disse...

Abaixo o desespero
Viva o simples de sermos humanos...

feliz fim de semana

Maria Luisa Adães disse...

Beites

"Desesperados"

Traduz ao máximo o desespero deste país e do mundo!

Dizer isto em poesia não é fácil!

Venha daí um elogio!

Abraço,

Mª. Luísa

Evanir disse...

Boa noite minha amiga querida,
em primeiro lugar agradeço seu carinho no meu blog.
Fiquei feliz com sua afirmação
o tempo vai passar depressa amada
e com certeza será um até breve.
Amiga seu poema tirado do fundo da alma tocou profundamente meu coração.
Tenha certeza são tantas lutas e batalhas muitas delas sinto , que vou perder o controle e me entregar de vez.
Minha amada , que Deus abençoe seu Domingo beijos no coração sua amiga sempre , Evanir.

jabeiteslp@sapo.pt disse...


Um big xoxo para as duas

num desejo de Feliz Domingo...~~_)

Marco Coiatelli disse...

Carissima Maria,

Sempre Maravilhosa !!!

Quando puder me envie seu endereço para eu lhe enviar um livro meu...

Meu email :
coiatelli@hotmail.com

abs querido

Pedro Coimbra disse...

O poema combina magnificamente com a música de fundo.
Boa semana!!

Beites disse...


E com estilo
Aguardamos por outros dias
Mais soalheiros
Nas suas assimetrias...

o mal continua
e pouco duradouro espero eu
será posto na rua...

Feliz dia e agradável semana também

Jorge disse...

Num momento ou noutro todos tentamos silenciar as nossas emoções dolorosas. A certa altura não mais o conseguimos porque estamos desesperados.
Bj
Jorge

Maria Ferreira N. Vechi disse...

Olá!
Obrigada pela visita,comentário e por me seguir.Também estou te seguindo.
Lindos seus poemas,suas imagens.Adorei as músicas.
Bjs,tenha uma ótima a semana.

PAULO TAMBURRO. disse...

MARIA LUIZA ,

belíssimo e sensibilidade à flor da pele.

Mais nada, absolutamente, mais nada a acrescentar.

Um abração carioca.

Maria João Brito de Sousa disse...

Só tu, minha querida Maria Luísa, para dares tanta beleza a um quadro tão negro, fazendo passar a mensagem de um quadro tão profundamente triste e tão real...

... e nós, poetas, seres humanos, escultores de palavras, não nos calaremos!

Enorme abraço!

Ricardo- águialivre disse...

Poema delicioso, que gera entre a tristeza e a alegria

Nos contrastes está a beleza da escrita

Gostei muito

Deixo abraço
***********
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Zilani Célia disse...

OI MARIA LUÍZA!
MUITOS MOTIVOS E RAZÕES PARA DESESPEROS NESTE MUNDO NEM SEMPRE AMISTOSO, MAS O MAIOR DELES, PARA MIM, É O DE UMA MÃE QUE CLAMA POR SEU FILHO.
MUITO BONITO E EMOCIONANTE TEUS ESCRITOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/