sábado, 5 de julho de 2008

CUMPLICIDADE


Insisto nos Direitos de cada um,
Insisto nos Direitos das multidões
Que sofrem…
E suplicam uma terra,
Onde se possam acolher…

Insisto no abrir dos sentimentos
Mais puros
Dentro de nós…

E peço, no tempo que resta,
A ajuda que nos falta...

E possam as palavras traduzir,
O seu significado real…
…quando se dizem.

E deixemos de sentir,
A falta da alegria
Existente no mundo,

E a cumplicidade
Da nossa ignorância!



Maria Luísa

9 comentários:

Anónimo disse...

ola amiguinha do meu coração ,e querida poetisa ,bom domingo e muitas felicidades nesse coração
aqui estou para te dizer e responder ao teo poema ,lindo e verdadeiro .im somos cumplisses desta vida em que vivemos ,vimos e calamos ,porque naõ temos forças ,
temos direitos mas não usamos .e assim continuamos vivendo ,debaixo da cumpilcidade .
quepoderemos nós fazer querida poeta .
continuar vivendo ,
um doce beijinho felicidades nesse coração .deste seu amiguinho ~
sonhosolitario

Anónimo disse...

Meu querido amigo

Linda e terna a sua presença e a sua resposta!

É o máximo a encontrar, neste mundo virtual.Linda surpresa!

Beijos,

M.L.

abjeccionismo disse...

Maria Luísa.
A poesia refulge do seu coração sobre a humildade do mundo humano que a rodeia e não encontra a solução para sentir a paixão da vida, que a Maria Luìsa canta tão emotivamente da essência de si.
O seu espaço, neste lugar,é muito sereno e só recebe os amigos mais próximos. É bom estar aqui e sntir o seu respirar, o seu dizer.
Beijos

Anónimo disse...

Neo,

Uma vez mais o encontrei; que bom, tê-lo como amigo!
Foi feita uma mudança no google para dar possibilidades ao Brasil de comentar.

Neste momento se clicar em anónimo,
não necessita de se identificar; eu conheço o seu estilo.

Foi feita essa abertura, pela dificuldade que os brasileiros tinham de comentar, quase impossível.
Ao abrir o blogs não fizeram essa
alteração, imprescindível...

Muito bom, o tornar a encontrar;
hoje, escrevi no sapo "NADA" -
melancólico, triste e fatigado;
quando possível, leia. Parece-me
muito bom, mas sou suspeita...

Beijos,

M. Luísa

Anónimo disse...

somos cumplices;

por isso não comentamos;

temos vergonha dessa cumplicidade;

você acertou em pleno!

A.

Anónimo disse...

E todos nós

Somos cúmplices!!!

A.

Anónimo disse...

Insiste nos direitos de cada um!

E todos deveríamos agradecer e ler, pensar e comentar e se possível, transformar o mundo.

Gostei do que escreveu!

a.

Anónimo disse...

Sim, somos cúmplices da iniquidade!

Anónimo disse...

Comovente a imagem, a traduzir o sentimento do poema!

Bom!!!

anº.