terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Eu Vivo...

Internet
Na fragilidade do mundo,
Eu vivo...

Depois de atravessar caminhos,
Eu vivo...

Na apatia dos ruídos da rua,
Eu vivo...

Na solidão das noites caladas,
Eu vivo...

No fulgor dos dias soalhentos,
Eu vivo...

No carpir das mágoas contidas,
Eu vivo...

No choro interior de olhos secos,
Eu vivo...

Na melancolia do meu entardecer,
Eu vivo...

Na saudade de não tornar a nascer,
Eu vivo...

No meu amor contido de amargura e esperança,
Eu vivo...

Contigo eu estou esperando por mim
E assim eu vivo...

Contigo eu amo tudo,
Por ti volto ao princípio de tudo...

Contigo eu estou na descida e no cimo
E sonho, num sonho rendido.

Contigo eu sou,
Contigo eu amo,
Contigo volto,
Ao princípio e ao fim
E vivo...


Maria luísa (Brasil)

20 comentários:

Ingrid disse...

Querida!! que saudades!
e vivemos sim.. sempre!
beijos de carinho..

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá Maria Luisa, fico feliz em encontra-la, ainda no Brasil, tenha uma boa estada em nosso meio. Felicidades muitas no novo ano, bjinhos.

Gricel Pizarnik disse...

Que bonito poema!!! alineado a mi estado de ánimo...

Gricel Pizarnik disse...

Muchas saludes Maria Luisa, feliz año!!!!!

Rogério Santana disse...

Que poema maravilhoso!! Me identifiquei muito com ele.

MC disse...

E assim vivemos
caminhamos ao encontro de tudo
e por vezes, muito pouco encontramos.

MC

jabeiteslp disse...

noto ansiedade e tristeza
nessa tua palavra de tanta
mas tanta beleza...

uma feliz noite num xoxo imenso
beijinhos Luisa

Monja de Clausura Orden de Predicadores disse...

Mi querida amiga, me gustaria que pasara por mi blog, he puestofotografías de mi infancia y un resumende mi vida.La espoero
Con ternuda
Sor.Cecilia

Gladys disse...

Amiga María un poema muy hermoso
aunque muy nostálgico tambien pero es muy sentido con sentimientos profundos muy bello.
Amiga te invito a pasar por mi blog de premio que esta al costado de Vidas Silenciosas, tengo un premio que me gustaría mucho compartir contigo, espero te guste.
Un gran abrazo que tengas una bella semana.

Vida de uma ex Drogada disse...

Ola Maria Luisa,

Espero que tenha tido festas maravilhosas nesse final/inicio de ano. Que seja só o inicio de muita coisa boa!
Beijos, meu carinho, admiração.

JOCARLOSBARROSO disse...

O amor é o que nos impulciona a viver nesse mundo, mas é uma pena que nem todos sabem que ele mora no coração..
Parabéns.

Vozes de Minha Alma disse...

Maria Luísa,
O amor é que te impulsiona com certeza, para que vivas com maestria e beleza de alma.
Por isso palavras tão ricas, tão sublimes e esperançosas.
Um abraço afetuoso, desejo um ano de muitas alegrias e felicidades.

Vitor disse...

E vive,Maria Luisa,vive
Escrevendo eternamente
Com alma e sentimentos
Fazendo das palavras
Belos e grandes momentos


Bj*

Toninhobira disse...

O amor é mesmo esta força que nos acorda para todos os sentidos desta vida e nos faz assim acolhedor e confortavel,que faz a alma saltar e abraçar esta vida em sua plenitude.Lindo isto.Meu abraço de paz e luz.

Agulheta disse...

Maria Luísa.Que tudo esteja bem consigo,poema que mostra um pouco a alma,sempre caminhamos ao encontro de algo que nos faça feliz,por vezes não mas sempre tentamos ser nós.
Beijinho e tudo de bom

Luis disse...

Querida Amiga Maria Luísa,
Belo poema mas será que VIVE depois de tudo que disse?
Um beijinho muito amigo.

Maria Luisa Adães disse...

Luís

E quem disse que sou Eu a 100%?

E vivo, apesar de tudo quanto escrevo e quanto digo.
E que seria de mim se nào ficcionasse sentimentos, mágoas, perdas, desventuras e alegrias?

Já pensou? Pense e responda-me.

Adorei encontrá-lo!

M. Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Vozes da minha Alma

Seu blogs está interdito, pelo menos para mim.
Estou no Brasil e tenho inúmeras
dificuldades em escrever.

Beijos e obrigada pela sua presença

M. Luísa

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando apenas para te deixar carinhos...beijinhos e dizer que estou de volta e com saudades.

Sonhadora

Maysa disse...

Maria Luísa

Estou por aqui! que poema lindo! guardo-o como aprendizagem básica.De quantos caminhos partimos para escrever? de todos, creio eu, dos nossos, dos que conhecemos , dos próximos...do que a ficção nos ensina.
belo, teu poema
Com carinho poeta!
Maysa