terça-feira, 30 de agosto de 2016

A ILHA

                                                       
Ilhas Shetland/ Maria Luísa

Um dia deixei a Ilha onde nasci
tive de a deixar e calcorrear o mar
e encontrar meu amor desfeito
Pela saudade de meu peito


Ele me esperava
me abraçava e beijava
e eu de olhos fixos
em sonhos ou acordada
via a Ilha, as rochas rolando
Fora da águas.

Eu tinha sido poeta
no silêncio dos deuses
e tinha gravado meus versos
Nas pedras que encontrava

Quanto te quis
quanto te quero
no calor tropical
sem fraquezas humanas
na solidez da terra
E no caminho brilhante do mar

Converto-me em ti
No jardim abandonado 
Por mim...

Deixa ouvir o cântico dos búzios
E nua, suave, perfeita
Te deixo entrar
Na minha própria casa

Fica...eternamente meu!



Maria Luísa Adães



Visualizações :  1126

19 comentários:

Franziska disse...

Creo que hoy me cabe el honor de llegar la primera a visitarte.

Es un precioso poema el que escribiste al amor de la tierra donde se nace y a donde, inevitablemente, siempre retornaremos si no puede el cuerpo, lo hará el alma sin ninguna duda.

Es conmovedor tu reconocimiento de sentir en tu alma la poesía y cómo podría dejarla escritas en las rocas. Las palabras son moldes llenos de significado y que pueblan nuestra mente y nos convierten en lo que somos. Ccuando se atesoran palabras preciosas nuestra mente también se vuelve preciosa. Ese es tu caso, poeta de los mares.

Bonita fotografía. Un abrazo. Franziska

Mari-Pi-R disse...

Siempre se recuerda de donde uno salió, lo cierto que fue un lugar precioso el tuyo, un abrazo.

emanuel moura disse...

Maravilhoso momento de poesia querida amiga ,muitos beijinhos felicidades

Elvira Carvalho disse...

Gostei. O amor pelo sítio onde se nasceu é mais forte que nós. embora a vida nos leve na maior parte das vezes para sítios bem distantes.
Abraço

Fê blue bird disse...

Um amor para sempre !
Um poema saudoso e muito belo.
Um beijinho grato

Suzete Brainer disse...

Olá Poeta,

Sempre estou silenciosamente lendo e acompanhando a
sua grandiosa Poesia.

Hoje, este seu poema me deixou hipnotizada diante
da expressão poética tão magnifica de desnudar
um amor tão belo no toque da pele e da alma!...
Bravo, Poeta!!
Grata por este momento de leitura inesquecível aqui.

Manuel Veiga disse...

belo poema de amor.
de uma sensualidade amena e vibrante

beijo

Suzete Brainer disse...

Querida Poeta,

Voltando para lhe agradecer pelo seu gentil comentário
deixado no meu blog e o presente do seu belo poema registrado.

Abraço de admiração.

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:


“Imprimamos na nossa própria vida o selo da eternidade.”


Nietzsche-Citador

Beijinho doce:)

Toninho disse...

Um lindo amor que espalha ternura.
Que ouve cantos das pequenas delicadezas.
Maravilha de inspirar Luisa.
Carinhoso abraço.
Bjs de paz e boa semana.

Cidália Ferreira disse...

Um poema fabuloso! Cheio de carinho. Amei

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Cidália Ferreira disse...

Lindo...Lindo!

Beijo, bom fim de semana.
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Miguxa disse...

Maravilhoso Maria Luísa.
Amei.

Beijos com carinho
Margarida Sampedro

Miguxa disse...

Maravilhoso Maria Luísa.
Amei.

Beijos com carinho
Margarida Sampedro

Maria Rodrigues disse...

Uma ilha plena de sentimentos, amor e saudades.
Lindíssimo poema
Beijinhos
Maria

Manuel Luis disse...

Um beijo com gratidão.

:.tossan® disse...

Subo o oitavo degrau com a tua belíssima poesia.
Beijo

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

Passei para deixar um beijinho doce:)

Jaime Portela disse...

Um excelente poema.
Do princípio ao fim.
Os meus aplausos, querida amiga.
Maria Luísa, tem uma boa semana.
Beijo.