segunda-feira, 12 de outubro de 2015

APENAS...Olhei!

   Olhei 
E não te reconheci                                          
Salvador Dalí/ GALA

E tanto te amei
num amor sensual
ocasional
Vazio no mundo real

Em mim, havia fogo e dor
Nesse amor

Que ressalta
que prende
que ressuscita
e torna a noite
em dia
E não deixa descansar

Em ti não existia amor
E em mim havia o acreditar
Nessa forma de amar


Passou
nada ficou
e no fundo de mim mesma
reconheci
que não te tinha amado
Apenas desejado!

Em ti não havia amor
Em mim
Não sei que se passou
Nada ficou
Nada deixou

E quando te vi
Não te reconheci

Esqueci!...


Maria Luísa Adães


Visualizações : 123

20 comentários:

Aleatoriamente disse...

Ah Luísa,um belíssimo texto

Maria Luisa Adães disse...

Graças Aleatoriamente!


Maria Luísa

Célia Cavaco disse...

Quando as palavras cruzam os sentires... Sai a beleza para o exterior.



Obrigada por este momento,Maria Luisa Adães.

Maria Luisa Adães disse...

Célia

Agradeço suas palavras e sua presença!


Maria luísa

emanuel moura disse...

Tudo é belo quando se escreve com tamanha delicadeza ,muitos beijinhos querida amiga.

Ingrid disse...

o amar reconhece sempre...
Almas unidas.Belíssimo!
Beijos de saudades.

Miguxa disse...

Belo Maria Luísa...
Adorei!

Beijos com carinho
Msampedro

Cidália Ferreira disse...

Poema brilhante!

Beijo, e uma noite feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Débora Teixeira. disse...

Belíssimo!
Um amor desejado,mas não correspondido.
Parabéns! Belo poema.
Agradeço o seu carinho em meu blog.
Beijos.

Toninho disse...

Quando o sentimento não encontra o eco.
Belíssima construção amiga.
Abraços na boa semana.

Manuel disse...

Sou suspeito, porque tenho grande admiração pelos seus poemas.
Este é um grande exemplo de toda a sua inspiração.
Amores que se procuram, que parecem mas não são, sentimentos que nos levam até onde a nossa imaginação vai.

Franziska disse...

Otro poema que abre las entrañas a la destrución que signfica encontrarse con la nada después de que entregamos nuestra alma. Para descubrir, pasado el tiempo que ese amor ya no significa nada, que no reconoces ese rostro.

Dramático pero real como la vida misma. El amor es un sueño que hemos inventado los humanos para revestir nuestros instintos básicos de hermosura pero...no retiro mis palabras, muchos lo sentimos aunque no exista, creemos en él.

Un abrazo y perdona que siempre llegue con retraso. Franziska

Manuel disse...

Para começar digo que adorei o quadro do Dali.
O poema, como é habito, é mais uma prova da grande inspiração, e sensibilidade, de quem o escreveu.
Lindo!

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Maria Luisa
Tem certos sentimentos que passam como se nem tivessem existido...
Bjm fraterno

Mar Arável disse...

Tudo se move

Cidália Ferreira disse...

Passando para desejar um bom fim de semana.

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Elvira Carvalho disse...

O amor é como nós. Nasce, vive e morre...
Um abraço e uma boa semana

lua singular disse...

Nossa Maria Luisa !
Uma linda poesia digna de uma excepcional poetisa.
Visita meu outro blog: minicontista, tem banner no Lua Singular
Uma boa semana
Beijos
Lua Singular

Manuel disse...

Só para deixar um beijinho e desejar um Bom fim de Semana.

Uouo Uo disse...




thx

شركة تنظيف بالرياض




thank you

حراج السيارات


thank you



احلى سينما