quinta-feira, 10 de novembro de 2011

FUGA

Internet/ Salvador Dalí
O vento gemia
Nós dois fugiamos
De nós...

Nos embrenhávamos na floresta
Sem conhecer o caminho...

Caminho agreste
Complexo, insolúvel,
Num mundo ainda por nascer.

E nós já tinhamos nascido
Num outro tempo escondido.

Há uma sombra que me prende
Um som de vida
De ventura e encanto...

Tantas coisas se perderam
E outras se encontraram...

E eu tão perto do silêncio
Que me confundo com ele.

O beija-flor desce a Penedo
A cachoeira canta,
Eternamente ela canta...

Um canto antigo e desmembrado
Sem qualquer espécie de canto,
Mas canta...

E eu tento o equilíbrio
Enquanto olho para ele...

A vida é a arte do encanto
Culpada de tantos desencantos
Ou seremos nós...
Tu e eu os desencontrados?

Seremos os culpados
Por não termos encontrado
O amor no nosso canto...

E descemos...
Antes, muito antes
Do nosso tempo exausto...
Antes do tempo.

Lá no fundo há coisas
Que não posso trazer,

Há critérios
Que não posso dizer,

Há relatórios da existência
Difíceis de entender,

Há ternuras, desencantos e espantos,
De palavras constantes...

E na sequência,
Abri os caboucos superficiais
Da minha existência...

Maria Luísa

36 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Não encontrei as palavras para comentar a beleza que escreveste, por isso deixo-te um rascunho do que senti ao ler-te.

Há um grito errante que cala todos os silêncios...um silêncio que cala todas as palavras que escrevi no teu corpo...memórias adormecidas do mar que me percorreu...do vazio que se aninha na minha alma...no suplício da imensidão do nada...

Deixo o meu beijinho carinhoso
Sonhadora

Maria João Brito de Sousa disse...

Que belo poema, Maria Luísa!!! Um dos teus melhores, na minha opinião!
E como vão esses "caboucos superficiais" da tua existência? Penso saber ao que te referes, penso entender-te bem e, no entanto, eles prendem-nos tanto e privam-nos de tantas coisas...
Enorme abraço, amiga!

Maria Luisa Adães disse...

Vim, sabendo que ninguém me espera.

Sonhadora :

lindo o teu sentir, nos teus versos
profundos.
Agradeço, Mª. L.

Mª. João :

Um dos meus melhores poemas?
Que bom!
Agradeço,

Mª. L.

✿ chica disse...

Simplesmente maravilhosa tua poesia, cheia de sentimentos. beijos,tudo de bom,chica

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Maria Luisa!
Bem vinda a este teu canto.

Lindo poema: balanço de percurso de vida; cheia de encontros e desencontros; e também de desencantos. E dos encantos que nela temos que continuar a procurar para lhe dar sentido e não desistir - nunca!

Rápidas melhoras; fica bem.

Abraço amigo.

Maria Luisa Adães disse...

Vitor

Gostava de ser a personagem que representa no palco, as histórias reais contadas por ti.

E talvez seja...frágil como as espumas das ondas do mar...

Abraço,

Mª. L.

Maria Luisa Adães disse...

Chica

Eu sou como dizes?

Te agradeço a Amizade e as Palavras.

Beijo,

Mª. L.

Rafael Castellar das Neves disse...

Sempre forte, intenso e ao mesmo tempo terno...assim são seus textos, Maria Luísa e que tanto me agradam!

Beijos

Maria Luisa Adães disse...

Rafael

Que bom te encontrar!

Vim, no silêncio da noite
escondida de meus pesares.

Nada sou!
mas há uma força
que me prende...

Grata por te encontrar!

beijo,

Mª. L.

Mona Lisa disse...

Olá Luísa

Sublime! Os meus sinceros parabéns!

A vida pode ser "madrasta"...feita de encontros e desencontros.Muitas vezes passamos por ela sem encontrarmos o amor.

Bjs.

Borboleteando disse...

Oi querida,
Quanta saudade estava do seu cantinho e de suas belas palavras...
Simplesmente lindo!!
Beijos, muita luz para ti

Eloah disse...

Que lindo querida!Escrevestes lindamente o teu espanto pela vida e seus meandros. Saio daqui encantada pelo teu poema.Amei!
Dias encantados.Bjs Eloah

Ingrid disse...

são caminhos querida..
de fuga ou retorno, mas sempre teus e de emocionar..
beijos de carinho..

Agulheta disse...

Maria Luísa! A algum tempo sem vir por aqui as minhas desculpas.Poema demais sentido e contido nos silêncios dos encontros e desencontros da vida.Por vezes assim é,nos passa ao lado algo que não conseguimos segurar,e fica um vazio enorme e algum silêncio.A vida é como as marés,umas vezes vaza,outras em turbilhão.Lindo mesmo estas palavras.
Beijinho e tudo de bom

Ana Tapadas disse...

Muito belo. Um percurso de vida.
Beijo

AC disse...

Maria Luísa,
Uma fuga que, no fundo é procura profunda, uma espécie de resgate de vislumbres e memórias ancestrais que façam sentido.
Gostei muito, parabéns!

Beijo :)

Amor feito Poesia disse...

diz...diz prá mim,
onde se escondeu...
em que lua vai voltar...
em que sonho, volte logo anjo meu.

(Markinhos Moura)

Amor & Poesia na sua noite...M@ria

Toninhobira disse...

Dentro de nós há sempre uma dicotomia,que nos leva a profundas reflexões como se sempre estivessemos redescobrindo.É nesta bifurcação,que as vezes nos jogamos nesta solidão de desencanos e desencontros que parece perdidos de nós.Viver é estar nesta floresta que encanta e causa medo.Enfim mais uma bela e profunda inspiração da alma,da essencia da pessoa na arte de viver.Voce é fantastica amiga.
Bom que apareceu,faz falta sempre.
Meu carinhoso abraço de paz e luz.
Bju.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Maria Luísa! Passando para te cumprimentar e apreciar este belo poema.

Beijos e muita paz pra ti e para os teus.

Furtado.

Eduardo disse...

Mi mensaje anterior desapareció ¿?
Intentaba decirte la alegría de reencontrarte, espero que la recuperación sea rápida y duradera.
Beijos.
pd.No sé si mi comentario reaparecerá.

Anónimo disse...

Maria luísa

Belo poema!

As tuas melhoras,

MC

Fernanda disse...

Amiga Maria Luísa,

Nesta fuga, encontrei-me de alguma forma consigo...
Estranhamente ou não, existe uma dor que nos é comum no momento, a da perda de algo que sem ele mal vivemos.

Adorei o poema, e não foi só pelo que acabei de confessar.
Maravilhoso poema,profundo sentir.

As melhoras amiga.

Beijinhos

Graça Pereira disse...

Minha Querida Maria Luisa

Mas é nestes encontros e desencontros...que nos encontramos!
Fugir de nós? Não vale a pena...a vida encontrar-nos-ia na primeira esquina do tempo!!

Nada se perde ( por isso a mochila pesa tanto...)e temos a possibilidade de encontrar outras coisas que não conhecíamos e junto à cachoeira, juntar o nosso canto, ao seu eterno cantar...

Beijos.

Graça

PyP disse...

sublime !
sólo puedo describirlo así,
gran poetisa amiga, de noble corazón,
espero tu descanso y que mejores,
sabes que nuestra amistad continuará sin barreras de ningún tipo,
pues mi corazón está ganado por el tuyo,
recibe ánimos y fuerza de mi parte y un fuerte y sincero abrazo

maria josé areal disse...

Olá!
Comentar poesia é sempre um enorme risco. Às vezes, muitas vezes, a nossa "entrada " nele é tão particular que pode enfermar ou mesmo melindrar o rosto das palavras, ou o som do sentir.
Todavia, o atrevimento é sempre amigo do risco e... lá vamos juntos para dizer:
Grande é o encanto do canto nesta poesia!
Grande é o som das palavras no enrolar do tempo, num tempo sem tempo para derrepar!
Grande é a alma que sente este jorrar, desencantando os sentimentos para os voltar a encantar!
Parabéns!
mjAreal

Fernanda disse...

Amiga Maria Luísa,

Ainda recebi, por e-mail, mais estas palavras

"Grande é a sensibilidade desta tua amiga, no poema e nas respostas... parece viver noutra dimensão.
Abraços
MJAreal


Beijihos

Maria Luisa Adães disse...

Maria josé Areal

Muito me encantou
no que me escreveu.

Captou meu sentir
como se fosse minha
como se fosse eu...

Vivo no tempo,
mas fora do tempo
cada vez mais
fora do tempo...

Tento ficar um pouco mais,
ainda tenho coisas a encontrar...

Sei que não me vai ler,
mas eu sei que lhe escrevi
e agradeci
e isso é tudo para mim.

Poucas vezes compartilho
este sentir profundo
e nisso estou,


"Tão perto do silêncio
Que me confundo com ele."

Amei o encontro,

Maria Luísa

Ana Tapadas disse...

Espero amiga Luísa, que a sua saúde melhore e que tudo se resolva.
Acredite que tenho um carinho especial por si.

Beijinho

Fernanda disse...

Amiga Luísa,
Bom dia querida!

Mais uma vez sou a mensageira.

Leia a resposta ao seu comentário que enviei à Maria José

"adorei a ternura e o cuidado.
É verdade que não tenho tempo para "visitar" a gente do outro lado.

Sei do meu tamanho nas coisas,
Sei nas veredas em que escorrego,
Sei que me vou dando no tempo das coisas
e no tempo dos homens.
Do tempo já pouco sobra
para o tempo que preciso
nas visitas que não faço
ao outro lado de mim.
Abraços
>
>
>
> Beijinhos
>
>
>
> Ná
>
>
>
> * Maria Luisa
> Adães disse...
>
> * Maria josé Areal
>
> Muito me encantou
> no que me escreveu.
>
> Captou meu sentir
> como se fosse minha
> como se fosse eu...
>
> Vivo no tempo,
> mas fora do tempo
> cada vez mais
> fora do tempo...
>
> Tento ficar um pouco mais,
> ainda tenho coisas a encontrar...
>
> Sei que não me vai ler,
> mas eu sei que lhe escrevi
> e agradeci
> e isso é tudo para mim.
>
> Poucas vezes compartilho
> este sentir profundo
> e nisso estou,
>
>
> "Tão perto do silêncio
> Que me confundo com ele."
>
> Amei o encontro,
>
> Maria Luísa
>
> 15 de Novembro de 2011 03:53

Beijinhos

Maria Luisa Adães disse...

Mensageiro

Ao longe brilhavas
estavas tão longe de mim,
mas o brilho chegava a mim.

Abri meus olhos
e te deixei entrar
ficaste em mim
com esse olhar.

Parte do brilho ficou no ar
outra parte ficou no mar.

Não sei se eras real
se eras o luar
ou o brilho ao longe
de um entardecer
sem entender.

Eu não pertenço à terra
continuo na terra,
mas há muito deixei a terra.

Os pensamentos são o futuro
posso deixá-los em palavras escritas...
E um dia podem ser encontrados
entendidos melhor do que hoje
melhor do que ontem.

Se um dia os entenderes
subiste os meus sete degraus,
mas não é fácil...
Eu sou uma sombra vaga
de um poeta que cantou
e já não canta.

Maria Luísa

La Gata Coqueta disse...


Hola mi buena amiga María Luisa; que gran emoción al encontrar tus palabras de afecto en mi casita y ahora aun más al saber que la ausencia fue debida a la salud.

Espero y deseo que todo valla cobrando un exito total.

Sabes que te estimo y aprecio porque sabes ser y estar en cada momento.

A veces no se puede llegar a medir la capacidad del ser por la grandiosidad y belleza de su alma.

Un abrazo

María del Carmen

TITA disse...

Maria Luísa,quanta beleza nestes instantes de fuga...que daquilo que nos prende à vida brota sempre o desejo do encontro.Belo,mioto belo.Um abraço.

La Gata Coqueta disse...



Mi querida amiga, cuando he leído tú comentario esta mañana me ha invadido la melancolía al saber que no vas estar presente en la convivencia del día a día a mi lado.

La tristeza me oprime el corazón desde este momento...
Espero y deseo que los motivos que lo causen sean superables en el espacio tiempo.

Un abrazo de sonrisas para que el tiempo jamás las destruya.

¡¡Te quiero y siempre te esperaré!!

María del Carmen

Fernanda disse...

Querida amiga Maria Luísa,

A mensagem foi bem entendida e enviada.

Obrigada pela confiança e pelo carinho
Beijinho

Fernanda disse...

Querida amiga Maria Luísa.

Voltou o mensageiro.

"Que dizer, amiga?
Mulher sensível... Sim!
Mulher para além do ser-se natural.
Sente a amargura de não ser do mundo que advoga, atingindo-o com as suas reflexões e pensamentos
doutos na arte de pensar em letras escritas.
Saber-se de um mundo onde os cânticos são para os que pouco sabem do interior das coisas, só flutuando no silêncio da noite, ou então, no derrubar paredes com o frescor da alma.
É a luta que vamos travando. Fugir não se pode. As palavras serão sempre o testemunho da nossa teimosia."

Beijinhos

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Maria Luisa!

O meu obrigado pelas simpáticas palavras deixadas lá no meu canto, a propósito deste país de desencanto e de gente desencantada.

E que a tua recuperação esteja a decorrer bem e depressa, para que em breve possas fazer a tua vida normal, podermos contar mais com a tua companhia - e a tua poesia.

Um abraço amigo; boa semana.
vitor