sábado, 1 de agosto de 2009

FINAL




As ondas batem suaves na cadência das águas,
escondem as rochas,
um barco estremece e eleva-se ,
outro barco balança as velas ao longe...
um outro segue o seu destino.

Tudo se aquieta num tempo derradeiro,
numa despedida de encanto
e sente-se a Tua presença,
qual farol ensinando o caminhante.

A magia do silêncio,
o canto da natureza,
juntam-se ao musgo sedoso
desse instante luminoso.

As ondas murmuram leves e nuas,
tudo é uma aventura constante
e o Tempo pára...
E dá o esquecimento
de terras a ruir,
pontes a abater
e Gente a morrer.

Maria Luísa O. M. Adães

13 comentários:

Anónimo disse...

Adorei este final!

Alberto

Anónimo disse...

Gosto da forma de dizer e o Final
...é como muitos Finais, nas nossas
vidas.

Tornemos o Final mais feliz!

João

Anónimo disse...

Romântica a forma de escrever!

Nunca lhe foi dito? Mas é!

Anónimo disse...

Final

Lindo e triste o que diz!

M.C.

MC disse...

E assim se pensa esquecer as guerras e os que morrem, nessas guerras.

Final é belo!

M.C.

Anónimo disse...

A magia do silêncio,

o cântico do oceano

e o ondear das águas,

fazem esquecer os males do mundo.

Parabéns!

Alcides

Anónimo disse...

Muito bom o que escreves!

Antonio

antostb@hotmail.com disse...

Tudo se aquieta numa despedida
e nós aceitamos.

antonio

Anónimo disse...

A magia do silêncio,
O abstracto do que escreve,
me encantam.


E.

ஜॐ♥ஜ_Estrelinha_ஜॐ♥ஜ disse...

MªLuisa
tu tb anda por aqui amiga?
Ai que eu não sabia...
beijão do tamanho do mundo muh@@@@

Anónimo disse...

As ondas murmuram leves e nuas...

E neste tempo tão quente, apetece
falar das ondas e do mar.

Gostei!

A.

M@ disse...

Olá amiga, voltei das férias, como tem passado?
Espero que tudo esteja bem.
Deixo um abraço amigo.
Manuela

Maria Luisa Adães disse...

gosto deste poema. É meu! Agradeço

a gentileza de todos, quantos me escrevem!

M. Luísa