quarta-feira, 12 de novembro de 2008

CAMINHANTE ...




Ao caminhante que passa
benevolente e terno,
ao caminhante que passa

atraiçoa e apaga as luzes fortes,
pintadas de todas as cores
num jogo de amor.

Toco as palavras
Atiro as palavras,

ao Vento
à solidão.
à maldade
e à mansidão ...

E o que é "Manso de coração",
fica com Elas
e o seu bordão ...

Esquecido, perdido,
num local sem fim
E Eu,
Fico com ele...
pertenço,
ao Mundo dele!

Maria Luísa Adães

5 comentários:

Maria João disse...

Habituei-me a ir ao "prosa-poética" e estava-me a esquecer de vir ver "Os 7 degraus"... mas tens cá mais um "Caminhante"...
Um grande beijinho para ti e Maggie.

Anónimo disse...

Maria João

Muito agradecidas estamos, pelo teu
carinho e paciência, para mim e maggie.

Com ternura, beijos para ti e teus bichinhos (em especial Lupa) de mim e Maggie,

Mª. Luísa e Maggie

Anónimo disse...

Maria João

"Caminhante" veio ao google para ser esquecido, ou visitado pelos amigos de mais perto, de nós e vai
ficar, enquanto lhe for dado "Ficar".

Obrigada por te lembrares!

Beijos,

Mª. Luísa

Anónimo disse...

Esquecido, perdido
num local sem fim ...

Pobres caminhantes ... Eu sou um deles!

Anónimo disse...

caminhantes - somos todos - ricos e pobres - miseráveis e sem abrigo
e ainda, os ovacionados por um momento breve, concedido, por pena a quem pensa estar no cimo da montanha.

Tudo Ilusão...
Somos Caminhantes - no more!

A.